00:45 26 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Nota de cinco dólares em chamas

    China realiza venda massiva de títulos do Tesouro dos EUA em meio à guerra comercial

    CC BY 2.0 / Mike Poresky / Fogo
    Economia
    URL curta
    9634

    Em um ano Pequim, o maior detentor estrangeiro da dívida pública norte-americana, vendeu seus títulos do Tesouro dos EUA no valor de 67,2 bilhões de dólares. Por que a China decidiu dar esse passo e como isso poderia afetar a economia dos EUA?

    A China, o maior detentor estrangeiro da dívida pública dos EUA, realizou a maior venda de títulos do Tesouro dos EUA em dois anos, reduzindo seus investimentos nesse ativo a 1,12 trilhão de dólares (R$ 5,53 trilhões).

    No período de 12 meses que terminou em março, a China reduziu em 67,2 bilhões de dólares seus investimentos em títulos do Tesouro dos EUA, o que corresponde à 5,6% dos investimentos chineses nesse ativo, informou o banco de investimentos UBS, citado pelo canal CNBC.

    Segundo analistas, a China não ameaça nem deixar de comprar títulos do Tesouro nem se envolver em vendas imediatas, o que abalou o mercado de títulos anteriormente. O mais provável é que Pequim tenha dado esse passo para defender sua moeda nacional.

    Embora a venda massiva de títulos públicos dos EUA possa agravar as negociações comerciais com Washington, entre as duas maiores economias do mundo, o impacto de longo prazo dessas medidas ainda não está claro.

    Vale destacar que a emissão de títulos do Tesouro permite a Washington financiar os gastos públicos crescentes, estimular o crescimento econômico e manter taxas de juro baixas.

    Se os chineses decidirem se livrar da dívida pública dos EUA ou reduzir significativamente sua cota-parte nesse mercado, surgirá um desequilíbrio. Washington depende demasiado dos compradores estrangeiros desses títulos. A venda massiva de títulos do Tesouro causaria o aumento drástico das taxas de juro o que, por sua vez, seria um golpe contra a maior economia global.

    "A venda massiva dos títulos do Tesouro é a maior arma que eles [os chineses] possuem. Eles precisam fazer mais para combater os EUA. Então, se chegar a atura, é isso que vão usar", disse o economista Sung Won Sohn.

    A China continua sendo o maior detentor de dívida pública dos EUA, mesmo depois de sua participação ter caído para 17,3% em comparação com outros governos em todo o mundo, a menor cota-parte desde junho de 2006. O Japão e o Reino Unido ocupam o segundo e o terceiro lugar nessa lista.

    Mais:

    Maduro: Venezuela está se tornando livre do dólar americano
    Nocaute no dólar: Rússia impulsiona ouro nas reservas em moeda estrangeira
    'Armadilha dourada': como Rússia e China estão dispostas a pôr fim à hegemonia do dólar
    Tags:
    títulos do tesouro, guerra comercial, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar