05:00 05 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    3230
    Nos siga no

    O vice-primeiro-ministro da China, Liu He, afirmou nesta-sexta-feira (10) que Pequim será forçada a retaliar o aumento de tarifas anunciado pelos Estados Unidos. Liu He é responsável por lideras as negociações bilaterais de comércio entre os países.

    Mais cedo nesta mesma data, uma nova rodada de tarifas de comércio foi efetivada pelos EUA. Com isso, um total de US$ 200 bilhões em produtos chineses foi tarifado, aumentando de 10% para 25%.

    "Se os Estados Unidos aumentarem suas tarifas, nós teremos que responder a isso também. Claro, esperamos que os Estados Unidos barrem a medida. Então, a China também irá aderir a essa posição. Um dos lados não pode demonstrar indefinidamente", disse o político chinês em uma entrevista para a emissora chinesa CCTV após as negociações em Washington.

    O vice-premiê insistiu que a China era contra o aumento de tarifas de comércio entre os países.

    Nós acreditamos que [o aumento de tarifas] não é benéfico nem para os Estados Unidos nem para a China nem para ninguém. Ainda, isso não ajuda a resolver questões comerciais e econômicas", ressaltou Liu.

    Mais:

    3 'armas' econômicas que China pode usar na guerra comercial com EUA
    Será que China está à beira do colapso financeiro?
    Secretário de Estado dos EUA: Devemos estar preparados para ataques cibernéticos da China
    'Armadilha dourada': como Rússia e China estão dispostas a pôr fim à hegemonia do dólar
    Tags:
    guerra comercial, tarifas, CCTVNEWS, Liu He, EUA, Washington, Estados Unidos, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar