01:18 19 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente chinês Xi Jinping fala na sessão de abertura do 6º Diálogo Econômico e Estratégico entre os EUA e a China (imagem referencial)

    China reconhece impacto da guerra comercial com EUA sobre economia nacional

    © AFP 2019 / SAUL LOEB / POOL
    Economia
    URL curta
    8140
    Nos siga no

    A guerra comercial entre a China e os EUA tem impacto sobre a economia chinesa, mas essa influência está sob controlo, declarou o chefe do Escritório Nacional de Estatísticas da China, Ning Jizhe.

    "Tenho que dizer que os desentendimentos comerciais e econômicos exercem impacto sobre o funcionamento da economia, mas essa influência está no geral sob controlo", ressaltou Ning na coletiva de imprensa, durante a qual foram anunciados os resultados econômicos do país em 2018.

    De acordo com os dados publicados, o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) foi de 6,6%, o ritmo mais lento desde 1990, mas isso coincidiu com a previsão oficial das autoridades. Ao mesmo tempo, o aumento do PIB do país desacelerou ao longo do ano de 6,8% anual no primeiro trimestre para 6,4% no quarto.

    Ning Jizhe assinalou que as divergências comerciais e econômicas entre a China e os EUA começaram a se revelar no segundo trimestre do ano passado. O governo chinês tomou uma série de medidas para garantir a estabilidade do emprego, setor financeiro, comércio exterior, capital estrangeiro e investimentos.

    "Se virmos do ponto de vista econômico, isso é geralmente aceitável, já que o quarto trimestre sente maior influência da situação internacional. Se falarmos das fricções comerciais e econômicas, elas influenciam não apenas a economia da China e dos EUA, mas também toda a economia global", explicou ele.

    O alto responsável sublinhou que o mercado interno da China tem um potencial enorme. As disputas comerciais com Washington não deverão mudar o vetor principal de desenvolvimento da economia do país, muito resistente ao choque.

    No início de dezembro, o presidente norte-americano Donald Trump e seu colega chinês, Xi Jinping, chegaram a uma trégua na sua guerra comercial depois do encontro nos bastidores da cúpula do G20 em Buenos Aires.

    A China e os EUA estão envolvidos em disputas comerciais desde que o presidente norte-americano Donald Trump aplicou em junho de 2018 tarifas de 25% sobre as mercadorias chinesas no valor de até US$ 50 bilhões (R$ 187,5 bilhões). Pequim acusou Washington de iniciar uma guerra comercial e retaliou com medidas similares. Desde então, os dois países impuseram várias rodadas de tarifas comerciais e impostos adicionais um contra o outro, afetando suas economias.

    Mais:

    Sanções, guerras comerciais e cúpulas históricas: 2 anos da política externa de Trump
    China e commodities respondem pelo aumento das exportações brasileiras
    'Princípio de retração mundial': restrição da UE ao aço do Brasil reflete tensão EUA-China
    China nega querer desbancar lugar dos EUA no mundo
    EUA e China reiniciam negociações contra guerra comercial nesta segunda-feira
    Tags:
    guerra comercial, desenvolvimento econômico, PIB, economia, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar