14:17 20 Março 2019
Ouvir Rádio
    Documento de retirada dos EUA do Acordo de Associação Transpacífico (TPP) sendo assinado pelo presidente Donald Trump, 23 de janeiro de 2017

    Analista: saída dos EUA da Parceria Transpacífico permite à China dominar no Pacífico

    © AFP 2018 / Saul Loeb
    Economia
    URL curta
    5170

    A saída dos EUA da Parceria Transpacífico (TPP, na sigla em inglês), que entra em vigor hoje (30), abre para a China um amplo campo de ação no Círculo do Pacífico, embora esse formato tenha sido promovido como um modo de conter a influência crescente de Pequim na região, declarou à Sputnik o analista James Brown.

    Parceria Transpacífico é um acordo de livre comércio estabelecido entre doze países banhados pelo Oceano Pacífico com objetivos de promover o crescimento econômico, apoiar a criação e manutenção de postos de trabalho, reforçar a inovação e produtividade e elevar os padrões de vida. Porém, em janeiro de 2017 o presidente dos EUA, Donald Trump, assinou um decreto determinando a retirada do país do acordo.

    "O maior dano para os EUA, provavelmente, será estratégico. Muitos adeptos do TPP promoveram [o acordo] como um método para conter o poderio crescente da China na região, ligando as economias regionais com os EUA e seus aliados, bem como contribuindo para o afastamento desses países da China", sublinhou o especialista.

    Além disso, segundo Brown, "o TPP se destina a estabelecer as regras do jogo no comércio no Círculo do Pacífico", o que poderia prevenir situações em que Pequim dite os seus princípios a outros países da região. Saindo do acordo, os EUA deixam o palco aberto para a China, opina o analista.

    Apesar do efeito geralmente positivo do acordo, o formato não é uma panaceia. Ele pode influir negativamente em certos setores das economias dos países do TPP, por exemplo, na agricultura no Japão, sublinhou Brown.

    No âmbito do TPP, o Japão será obrigado a levantar algumas restrições comerciais, que por muito tempo ajudaram a manter os preços altos no setor agrícola. Os produtores japoneses terão de concorrer com as mercadorias baratas importadas, declarou Brown.

    Apesar disso, em geral o acordo traz vantagens para o Japão, sublinhou ele. No mercado interno japonês se espera uma diminuição da demanda por causa da redução da população. As companhias japonesas se tornarão mais dependentes das suas exportações, mas o TPP lhes concederá acesso aos países emergentes da região, segundo o analista. Mais uma vantagem para Tóquio é representada pela ausência nessa parceria da China, que é "uma ameaça estratégica para o Japão".

    Mais:

    China exige explicação dos EUA sobre compra de equipamentos para espionagem por embaixadas
    Para acalmar guerra comercial, China e EUA terão reunião em janeiro
    Como guerra comercial entre China e EUA afetará países do Mercosul?
    Tags:
    Acordo de Parceria Transpacífico (TPP), danos, domínio, afastamento, livre comércio, Pacífico, China, EUA, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar