06:15 14 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Nota e moeda de um dólar americano

    Fim dos tempos para EUA? Especialistas evidenciam as causas da queda do dólar

    © Sputnik / Aleksei Sukhorukov
    Economia
    URL curta
    980
    Nos siga no

    Rumores sobre a queda em 30% do dólar se espalharam pelo mundo, podendo ter surgido através das recentes declarações do presidente da Reserva Federal (Fed) dos EUA, Jerome Powell, sobre possíveis políticas monetárias para o ano que vem, assim como dívida e inflação do país.

    Anteriormente, Powell disse que as taxas de juros permanecem abaixo do amplo leque de estimativas do nível que seria neutro para a economia.

    Para muito especialistas, levando em consideração uma lógica dedutiva, as palavras do representante sugerem que as mudanças na política monetária dos EUA impactariam diretamente a linha flutuante do dólar, ou seja, em sua cotação.

    A situação nos EUA será agravada devido à tendência inevitável da queda da moeda norte-americana, fazendo com que a desvalorização dure por muitos anos, segundo estimativas de analistas da líder global em serviços financeiros, JP Morgan Chase. A desaceleração da economia dos EUA e uma pausa no ciclo de aumento da taxa do Fed no segundo semestre do ano também contribuem para essa circunstância.

    O codiretor da Goldman, Zach Pandl, assegurou à Bloomberg que o dólar poderia cair logo após a reunião da Reserva Federal, quando autoridades poderiam reduzir as projeções dos aumentos de 2019 de três para dois. Sobre isso comentou o analista Dr. Armando Fernandez Steinko, que acredita que "o problema da economia norte-americana é o déficit e a dívida", podendo esta ser paga somente se as taxas de juros forem elevadas, ou seja, "se o dólar seguir sendo suficientemente atrativo para atrair investidores".

    "No final, teremos um movimento descendente do dólar por muitos anos. Na segunda metade do próximo ano, se o Fed realmente fizer uma pausa, a economia desacelerará e o resto do mundo se estabilizará, veremos um declínio na moeda norte-americana", disse a estrategista global da JP Morgan, Gabriela Santos.

    Já o bilionário norte-americano Ray Dalio fez uma afirmação ainda mais alarmante, determinando que o déficit americano afastará os compradores estrangeiros de títulos do Tesouro, o que causará um aumento explosivo em sua rentabilidade e uma dramática queda do dólar em 30%, deixando o país em um cenário que ele descreveu como seu "pior pesadelo".

    Steinko ressalta que sem dúvida nenhuma, em médio prazo, as políticas do presidente Donald Trump "prejudicarão a economia dos EUA".

    "Não devemos esquecer que é uma política que não se baseia em aumento de produtividade, não há aumento de investimento real, mas, sim, de investimento financeiro. Está crescendo, mas não existe uma sustância para que isso dure por muitos anos", conclui.

    Mais:

    Índia e Irã dão passo decisivo para pôr fim à hegemonia do dólar
    Plano da UE para desafiar domínio do dólar não funcionará sem Rússia, afirma economista
    Dias contados: dólar deve cair 30% devido ao 'triplo déficit dos EUA'
    Cada vez mais longe do dólar: como Rússia ganha independência financeira de Washington
    Tags:
    déficit comercial, títulos, desvalorização, taxas, política monetária, inflação, dívida, comércio, queda, dólar, Sistema de Reserva Federal dos Estados Unidos, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar