14:43 19 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Uma bandeira com o logotipo da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) fotografada durante uma coletiva de imprensa na sede da OPEP em Viena, Áustria.

    Presidente do Irã: corte de produção da OPEP é fracasso para EUA

    © REUTERS / Heinz-Peter Bader/File Photo
    Economia
    URL curta
    192
    Nos siga no

    A decisão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) de reduzir a produção, tomada nos últimos dias e coordenada com produtores independentes, significa um fracasso das tentativas de interferência por parte dos Estados Unidos, disse o presidente iraniano Hassan Rouhani.

    "Apesar de tentativas dos EUA de interferir nos assuntos da OPEP e de violar o equilíbrio, com o esforço dos países membros e do ministro do Petróleo (iraniano Biyan Zangané) essas tentativas falharam", disse Rohani, citado pela agência IRNA.

    A OPEP decidiu na sexta-feira passada, após dois dias de reuniões, que reduziria a produção em 800 mil barris por dia durante seis meses a partir de janeiro e os países que não pertencem à organização reduzirão a produção em 400 mil barris diários.

    O Irã, a Líbia e a Venezuela estão isentos dos cortes.

    No final de 2016, a OPEP e 11 produtores independentes Azerbaijão, Bahrein, Brunei, Guiné Equatorial (membro do grupo a partir de maio 2017), Cazaquistão, Malásia, México, Omã, Rússia, Sudão e Sudão do Sul decidiram cortar a produção em cerca de 1,8 milhões de barris por dia.

    O acordo, que visa estabilizar os preços do petróleo, já foi prorrogado diversas vezes.

    Mais:

    Como saída do Qatar da OPEP mudará mercado de combustíveis? Analistas explicam
    Por que Qatar decidiu abandonar OPEP após mais de meio século na organização?
    Sob sanções, Irã se diz satisfeito com novo acordo da OPEP
    Ministro russo: Acordo da OPEP leva corte de produção de petróleo a 129% em agosto
    OPEP pode aumentar produção de petróleo para conter aumento do produto após sanções ao Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar