07:34 13 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Bandeiras dos EUA e China (imagem de arquivo)

    Especialista americano prevê 'processo perigoso' na disputa entre EUA e China

    © AP Photo / Andy Wong
    Economia
    URL curta
    311

    Pelo fato de Pequim não ser capaz de cumprir plenamente as exigências de Washington, ambos os países enfrentam um longo e complicado processo de negociação, segundo o especialista americano Alan Kafruni.

    "Parece assustador, mas não acho que a China se renderá. O processo será longo e perigoso. Há um complexo militar-industrial dos EUA, há o Pentágono — eles estão interessados em superioridade tecnológica sobre a China, e esse é o objetivo da guerra comercial", disse o especialista em sessão do Clube Valdai de Discussões Internacionais.

    De acordo com Kafruni, Trump não iniciará uma guerra de sanções com o país asiático na véspera das eleições presidenciais, pois isso também afetaria a economia norte-americana.

    "As eleições de meio de mandato não foram tão bem-sucedidas para Trump — ele perdeu a Câmara dos Representantes. A economia está passando por processos ruins. As corporações dos EUA são mais fortes do que a China, mas o problema é que tudo o que os EUA fazem afeta gravemente as empresas americanas. Por exemplo, […] a Microsoft tem metade das receitas da China", citou o especialista.

    Foi estipulado após as negociações do G20 em Buenos Aires, que os EUA não aumentariam as tarifas de 10% para 25% sobre a China a partir de 1º de janeiro de 2019.

    No entanto, os EUA alertaram que se nenhum acordo fosse alcançado sobre certas questões comerciais nos próximos 90 dias, as tarifas aumentariam para o nível anteriormente planejado.

    Mais:

    China e Argentina assinam plano de ação até 2023
    EUA: China concordou em derrubar impostos de 40% sobre carros americanos
    Trump pode violar acordo com China a qualquer momento, afirma analista
    Trump e Xi abordam guerra comercial entre EUA e China após cúpula do G20
    Tags:
    taxas, sanções, negociações, perigosos, processo, guerra comercial, Cúpula do G20, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik