20:27 21 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Presidente russo Vladimir Putin segurando uma barra de ouro enquanto visitava o Depositário Central do Banco da Rússia, em 24 de janeiro de 2011

    Reservas de ouro poderiam proteger economia sancionada da Rússia

    © Sputnik / Alexei Druzhinin
    Economia
    URL curta
    4160

    Segundo artigo publicado na Die Welt, a Rússia está renunciando ao dólar através da compra de ouro e da venda de títulos do Tesouro dos EUA. O artigo cita o autor e conselheiro político James Rickards, dizendo que o presidente Putin tinha um plano estratégico e o ouro seria um investimento perfeito para se proteger das sanções do dólar.

    A Sputnik Internacional discutiu com o economista global e analista político, Dr. Dan Steinbock, sobre o aumento da compra de ouro pela Rússia perante as sanções americanas.

    Perguntado sobre sua avaliação em relação à compra de ouro, o economista disse que "nos últimos quatro anos, a Rússia vem aumentando suas reservas de ouro, e perante outra rodada de sanções americanas, essa compra de ouro se acelerou".

    "Ultimamente, o país russo vem cortando as participações dos títulos do Tesouro americano ainda mais depressa. Desse modo, a transferência de tesouros para o ouro protegerá melhor a economia russa das novas sanções".

    O analista político também acredita que o que vem acontecendo com a moeda americana estaria ligado a um caráter estratégico, e que há certa preocupação de que Moscou aumentou de forma sistemática suas participações desde a crise global financeira de 2008. Tal preocupação, segundo ele, tem bases legítimas, pois o presidente russo havia advertido, após sua posse, sobre algo que ele chamou de monopólio perigoso do dólar.

    Já em relação ao risco de venda substancial de títulos americanos e outros ativos valiosos, Steinbock acha que há uma "contradição inerente na política dos EUA".

    "Historicamente, houve até o final da Guerra Fria um esforço para criar alianças internacionais. O que vemos agora é a abordagem ‘América primeiro', que é algo muito, muito diferente."

    "É muito difícil ter essas duas abordagens porque se você quiser cooperar com outros países, mas apenas em termos de ‘América primeiro', você estará em uma situação em que rejeitará todas as alianças existentes, e todos os acordos comerciais existentes. Você quer renegociar os novos em termos de interesses nacionais e, no entanto, proclama seu apoio à comunidade internacional", disse.

    No governo de Obama, as sanções foram lançadas contra a Rússia, agora a administração de Trump está travando uma "guerra tarifária um tanto autodestrutiva", principalmente contra a China, além da "Turquia que também está sofrendo com a crise cambial". 

    Steinbock afirma que uma maneira de se livrar da dependência do dólar seria usando "moedas nacionais em vez de moedas internacionais". Outro modo "seria começando a gradual retirada das commodities dominadas pelo dólar, incluindo o petróleo".

    Além disso, ele destaca que esta é uma "mudança que já começou e funciona através de efeitos de rede", ou seja, acontecerá de forma mais gradual, mas é acelerada e sua mudança é acumulativa.

    "Fiquei impressionado com o fato de que os europeus, na verdade, tentaram manter sua palavra e tomaram uma posição mais firme, dispostos a confrontar os Estados Unidos, e eu acho que eles entendem que se eles não fizerem isso agora, então em última análise, essas pressões estarão voltadas para as nações comerciais europeias: e isso não é bom para ninguém", concluiu. 

    Mais:

    Alerta vermelha no mundo: reservas de ouro estão se esgotando?
    Valeu, Trump: ação dos EUA ajuda Rússia e China a acumularem reservas de ouro
    Por que países querem retirar suas reservas de ouro dos EUA? Analistas respondem
    Guerra comercial entre EUA e China está debilitando reservas de ouro
    Tags:
    títulos, sanções, economia, proteção, reservas de ouro, Departamento do Tesouro dos EUA, Vladimir Putin, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik