13:38 14 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Pequim, China

    Pequim revela sua 'arma secreta' na guerra comercial com Washington

    © Sputnik / Alexey Babushkin
    Economia
    URL curta
    15394

    A China dispõe de um meio bastante eficaz que pode utilizar na guerra comercial com os EUA. Se trata dos metais de terras raras.

    Ambos os países se ameaçam com a aplicação de tarifas de importação. Entretanto, além das tarifas, a China dispõe de uma "arma" adicional na guerra comercial, explica a revista russa Expert.

    Na história das relações entre a China e os países ocidentais já houve conflitos relacionados às terras raras. As propriedades dos 17 metais que pertencem ao grupo os convertem em um componente imprescindível na fabricação dos modernos produtos tecnológicos.

    Cerca de um terço das reservas comprovadas se encontram na China, que atualmente extrai e processa 97% de todo o volume mundial destes minérios e, por isso, tem o monopólio inequívoco do setor.

    Em 1980, a situação era diferente, porque o principal produtor dos metais mencionados eram os EUA. Entretanto, o processamento das terras raras era complicado e caro, para além de causar danos consideráveis ao meio ambiente, por isso as minas norte-americanas foram fechadas.

    Enquanto isso, a demanda por metais de terras raras aumentou. É de lembrar que em várias ocasiões a China já impôs altas tarifas sobre os metais que exportava e agora pode voltar a fazê-lo.

    "Mesmo que imaginemos que a China entende sua responsabilidade perante a economia global e não planeja usar os metais de terras raras como arma na guerra comercial contra os EUA, o país manterá seu domínio no setor por muito tempo", explicou a Expert.

    A revista sublinhou que a China não apenas tem grandes reservas e um grande volume de processamento, mas também supera seus concorrentes do ponto de vista científico.

    Mais:

    China força depreciação artificial do yuan em meio a guerra comercial contra os EUA
    Secretário de Estado dos EUA e genro de Trump visitarão presidente eleito do México
    Tags:
    armas, produção, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik