20:52 20 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Os líderes russo, sul-africano, indiano, chinês e brasileiro na reunião multilateral durante a IX cúpula dos BRICS e, Xiamen, em 4 de setembro de 2017

    China declara que BRICS reforçará cooperação frente ao conflito comercial com EUA

    © Sputnik / Grigory Sysoev
    Economia
    URL curta
    Cúpula do BRICS 2018 (12)
    7151

    O BRICS, o grupo de economias emergentes composto pelo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, vai coordenar suas decisões mais estreitamente em resposta às tarifas impostas pelos EUA unilateralmente, disse o vice-chanceler da China, Zhang Jun, na sexta-feira (13).

    "Os países vão reforçar a coordenação macroeconômica em resposta aos desafios, como as ações unilaterais e o protecionismo, bem como os riscos associados às mudanças políticas em alguns países ocidentais desenvolvidos", disse ele aos jornalistas.

    Segundo Zhang Jun, os países integrantes do BRICS continuarão respeitando as regras comerciais internacionais impostas pela Organização Mundial do Comércio e promoverão a cooperação na economia digital e projetos de infraestrutura.

    Recentemente, os EUA introduziram tarifas sobre o aço e alumínio importados de vários países, tanto aliados como dos países do BRICS. Além disso, Washington aplicou tarifas adicionais sobre as mercadorias chineses no valor de bilhões de dólares. Pequim, por sua vez, já anunciou que vai retaliar com tarifas idênticas.

    Tema:
    Cúpula do BRICS 2018 (12)

    Mais:

    'Fim do consenso': China acusa EUA de chantagem em guerra comercial
    Mídia revela quem sofrerá mais com a guerra comercial de Trump
    Trump isola ainda mais os EUA ao travar guerra comercial, diz analista
    Afinal, guerra comercial entre EUA e China será boa ou ruim para o Brasil?
    Tags:
    tarifas, sanções, guerra comercial, BRICS, Brasil, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik