19:59 18 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    22182

    O presidente Michel Temer (MDB) deveria vetar a compra da Embraer pela Boeing, afirma o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e funcionário da Embraer Herbert Claros.

    Em negociação desde dezembro de 2017, os primeiros detalhes do negócio entre as duas gigantes da aviação começaram a vir a público. A Boeing está disposta a pagar US$ 3,8 bilhões por 80% de uma joint-venture com a Embraer criada para operar no segmento de aviação comercial. 

    A área de Defesa da Embraer continuaria como exclusividade da companhia nacional.

    A medida, contudo, pode sufocar o setor já que os recursos da aviação comercial respondem pela maior parte do faturamento da ex-estatal brasileira. Em 2016, a divisão de aviação comercial e executiva representou 85% do lucro líquido de R$ 21,43 bilhões da Embraer.

    A Boeing argumenta que pode conseguir abrir mercados no setor de Defesa para a Embraer, especialmente para o cargueiro KC-390.

    "É uma péssima notícia para os brasileiros e uma ótima notícia para os acionistas americanos e o governo americano. Com esse tipo de fusão anunciado hoje, a Boeing passa a ter uma proximidade e controle maior sobre o sistema de Defesa do Brasil. Estamos expondo o Brasil", diz Herbert Claros.

    Imagem da cabine da aeronave militar multimissão de transporte e reabastecimento em voo KC-390, da empresa brasileira de aviação Embraer
    © Foto : Divulgação / Facebook Embraer
    O diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos acredita que o negócio "compromete a soberania nacional". "A Embraer não faz só aviões, ela faz sistemas de vigilância e segurança, parte do controle das nossas fronteiras na Amazônia são por sistemas da Embraer".

    Claros diz que cerca de 300 funcionários da Embraer em São José dos Campos já foram demitidos desde o início das negociações e há casos de demissões em outras unidades. Ele afirma que o Sindicato solicitou uma reunião com a Embraer, mas a empresa recusou. "É um processo de limpeza que a Boeing deve estar fazendo como exigência". 

    "A Boeing nos Estados Unidos não é uma fábrica que tem tradição de proteger seus trabalhadores, pelo contrário. Nós visitamos os EUA no começo desse ano, o Sindicato, e trouxemos uma informação que é bizarra: nos últimos 5 anos, a Boeing demitiu 36 mil trabalhadores dos Estados Unidos".

    O diretor sindical também diz que Temer deveria vetar a transação, assim como "qualquer presidente" que seja eleito em outubro.

    O Governo Federal detém a chamada "Golden Share", ou ação de classe especial. Com ela, o Palácio do Planalto pode vetar alterações na Embraer em sete casos, como transferência do controle acionário e possíveis negócios que comprometam os programas militares do Brasil.

    Mais:

    Boeing revela avião hipersônico capaz de voar de Nova York a Londres em 2 horas
    Holanda e Austrália afirmam que Rússia esteve implicada na queda do Boeing malaio
    Fusão da Embraer e Boeing é criticada em audiência no Senado
    Boeing pretende construir novos caças F/A-18 Super Hornet para Kuwait
    Concorrente do Boeing-737 e Airbus-A320, aeronave russa MC-21 fará testes em maio
    Tags:
    Embraer, Boeing, Michel Temer
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik