15:42 21 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Entrada para a sede da OMC em Genebra, Suiça (foto de arquivo)

    Já chega, EUA: países querem limitar poder de veto de Washington na OMC

    © AP Photo / Fabrice Coffrini
    Economia
    URL curta
    5190

    Alguns países membros da Organização Mundial do Comércio (OMC) querem criar um mecanismo de apelação que impeça os Estados Unidos de vetar decisões que não agradam Washington, segundo o ministro da Economia da Rússia, Maksim Oreshkin.

    Até setembro, quatro assentos estarão vagos no órgão de reclamação, a Câmara de Apelações da OMC, deixando três juízes fora dos sete necessários.

    Washington bloqueou as nomeações para a câmara, criando assim uma crise no sistema de resolução de disputas globais.

    Segundo Oreshkin, sem as nomeações, o órgão de apelações da OMC deixaria de funcionar no próximo ano.

    Na última quinta-feira, Oreshkin reuniu-se com ministros de comércio de países membros da OMC e discutiu um mecanismo que permitiria que a câmara de recursos trabalhasse sem receber sinal verde dos EUA.

    "O que nós discutimos, sugerimos é criar um mecanismo sem levar em conta a posição dos EUA, o que nos permitiria resolver casos que são revisados nesta comissão de apelação. Nós trabalharíamos nisto", disse o ministro a repórteres.

    Desde 1995, a OMC expandiu-se para cobrir cerca de 95% do comércio mundial, que mais do que triplicou, para cerca de US$ 18 trilhões por ano somente em bens.

    O presidente dos EUA, Trump, adotou uma postura firme sobre a OMC, dizendo que é uma "catástrofe". "Nós perdemos os casos, não temos os juízes", afirmou ele em fevereiro.

    Mais:

    União Europeia promete acionar os EUA na OMC se sanções ao Irã prejudicarem negócios
    Vai sair pena para todo lado: Brasil ameaça recorrer à OMC contra veto europeu ao frango
    China leva 'guerra de tarifas' contra EUA à OMC
    Tags:
    exportações, importações, disputa, apelação, economia, comércio, veto, OMC, Maxim Oreshkin, Donald Trump, Europa, Estados Unidos, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik