12:15 14 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Poço de petróleo na Venezuela (foto de arquivo)

    Isso vai nos custar caro: por que 100 dólares por barril é muito perigoso?

    © AP Photo / Fernando Llano
    Economia
    URL curta
    12718

    A falta de oferta no mercado de petróleo em 2019 pode fazer subir os preços do petróleo até 100 dólares (R$ 365) por barril. A analista Natalia Dembinskaya analisou qual pode ser o impacto de um tão grande aumento do preço do ouro negro.

    Nova época do mercado de petróleo

    Segundo as previsões de um dos maiores bancos de investimento do mundo, o Bank of America Merrill Lynch, em 2018 a escassez de petróleo será de 630.000 barris por dia e em 2019 – de 300.000 barris diários.

    O mercado está sendo afetado pela crise na Venezuela, o risco de cessação das exportações petrolíferas do Irã, bem como pelo acordo da OPEP com maiores produtores do mundo para reduzir a produção, explicou Dembinskaya à Sputnik.

    Tomando em conta esses fatores, os analistas do banco constatam que estão criadas todas as condições necessárias para que o preço atinja a marca de 100 dólares por barril já em 2019.

    Previsões similares foram feitas por analistas do banco Goldman Sachs. Além disso, o chefe de uma das maiores petroleiras, a francesa Total, sublinhou que o mercado de petróleo "entrou em um novo mundo", onde a geopolítica é um fator crucial.

    Os analistas, entretanto, observam que a situação pode mudar em qualquer momento. Se os países da OPEP+ ajustarem o acordo como consequência do crescimento dos preços, na segunda metade do ano os preços poderão baixar drasticamente. A decisão final a esse respeito será tomada pelos ministros dos países da OPEP+ na reunião de 22 a 23 de junho em Viena.

    Segundo os especialistas, o mais adequado seria estabelecer um preço de 50-60 dólares por barril para garantir a demanda.

    Por que 100 dólares por barril é perigoso?

    Os analistas do banco suíço UBS calcularam qual será o impacto econômico de um preço tão alto do petróleo. 

    As cotações do ouro negro afetam diretamente as taxas de crescimento da economia global e a inflação, bem como a política monetária. 

    "Com o preço de 100 dólares por barril, o crescimento econômico mundial perde 16 pontos básicos, o que equivale a uma perda de 100 bilhões de dólares", revelam os economistas do UBS.

    Segundo os analistas, o crescimento drástico dos preços do petróleo deve ser tomado a sério porque as últimas seis recessões nos EUA foram precedidas por um aumento agressivo do preço do petróleo.

    Durante os últimos quatro meses, os preços do petróleo aumentaram quase 50%, mas, como sublinhou o UBS, apesar de ser massiva, a subida atual não é tão agressiva como a da última recessão.

    A atual onda de crescimento ocupa o 11º lugar por sua força em comparação com outras dos últimos 70 anos. Entretanto, os economistas advertem que, se as cotações continuarem subindo até 100 dólares por barril, a situação poderá ficar fora de controle.

    Mais:

    EUA cogitam pena de morte para conter crise de drogas no país, diz procurador-geral
    ‘Rodrigo Maia sabe o que fazer para tirar o Brasil da crise', diz deputado
    Tags:
    economia, petróleo, OPEP, Venezuela, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik