14:26 19 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Presidente dos EUA Donald Trump saúda seu homólogo chinês Xi Jinping em Mar-a-Lago, no estado da Flórida, em 6 de abril 2017

    Por que EUA e China nunca chegarão a acordo sobre comércio bilateral?

    © REUTERS / Carlos Barria
    Economia
    URL curta
    6130

    Professor da Universidade Estatal de São Petersburgo comentou as recentes declarações sobre China e EUA acordaram não iniciar uma guerra comercial.

    Anteriormente, uma declaração conjunta divulgada pelos dois países informou que os EUA e a China concordaram em adotar medidas efetivas para reduzir o déficit comercial dos EUA, o que implicará o aumento da importação de produtos norte-americanos por Pequim.

    Segundo Kolotov, os representantes dos dois países fizeram essas declarações apenas para acalmar a opinião pública. Entre a China e os EUA há fortes contradições, e não apenas no que se refere ao comércio. Os norte-americanos propuseram pôr fim ao desequilíbrio na balança comercial, o que é muito desvantajoso para Pequim.

    "Por isso Pequim fez parecer que aceitou as condições, para que os norte-americanos se acalmassem, mas na verdade isto é o início de um jogo sério que afetará todo o mundo", disse ele ao RT.

    Para o especialista, as relações entre os EUA e a China se agravaram devido à incapacidade de Washington de equilibrar sua balança comercial por métodos econômicos.

    "Quaisquer que sejam os acordos celebrados entre os EUA e a China, quaisquer que sejam os documentos assinados entre eles, os norte-americanos em qualquer momento podem abandonar esses acordos. A situação com o Irã confirmou isso mais uma vez. Não há regras nenhumas, o direito internacional não se aplica. Em qualquer momento podem fazer tudo o que quiserem – desde introdução de sanções […] a bombardeios", explicou ele.

    Em 19 de maio o secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, encontrou-se com o vice-primeiro-ministro chinês, Liu He, no Departamento do Tesouro dos EUA, onde discutiram o reequilíbrio do relacionamento comercial entre os EUA e a China.

    Mais:

    Dedo de Trump? Chefe da AIEA anuncia saída após EUA romperem acordo com o Irã
    Tags:
    relações comerciais, relações bilaterais, finanças, economia, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik