02:17 17 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Dólar com bandeira dos EUA de fundo

    Economistas advertem: a guerra de tarifas de Trump pode resultar em nova Grande Depressão

    CC BY 2.0 / Images Money / Dollar
    Economia
    URL curta
    2141

    Mais de mil destacados economistas dos EUA, incluindo 15 vencedores do Prémio Nobel, enviaram na quinta-feira (4) uma carta ao presidente Donald Trump advertindo para as possíveis consequências negativas das medidas protecionistas introduzidas pela Administração do presidente, escreve o RT.

    Na carta, publicada no site da União Nacional de Contribuintes (NTU, na sigla em inglês), os economistas lembraram que em 1930 o Congresso não tomou em conta os conselhos dos economistas, que insistiam em rejeitar a Lei Hawley-Smoot. A legislação, aprovada durante a presidência de Herbert Hoover, aumentou as tarifas estadunidenses sobre as importações.

    Os economistas asseguram que o desprezo manifestado na época pelas recomendações levou à Grande Depressão, apelando ao atual presidente e ao Congresso para que não repitam os erros do passado. Os especialistas sublinharam que as medidas protecionistas "aumentarão o custo de vida" e prejudicarão a grande maioria dos cidadãos dos Estados Unidos, informa o RT

    "Apelamos ao governo para que tenha em conta o ressentimento que a política de aumento de tarifas provocará inevitavelmente nas nossas relações internacionais. Uma guerra de tarifas não é um bom solo para o crescimento da paz no mundo", sublinha a carta.

    Em particular, os economistas se referiram a tais medidas como as ameaças de retirar os EUA de acordos comerciais e a recente imposição de tarifas sobre máquinas de lavar roupa, painéis solares, assim como aço e alumínio.

    Mais:

    Alemanha sobre guerra comercial entre EUA e UE: as relações transatlânticas estão em risco
    EUA devem estender isenções tarifárias aos países aliados
    Tags:
    guerra comercial, protecionismo, tarifas, crise econômica, Congresso dos EUA, Donald Trump, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik