23:27 20 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Ouro (imagem referencial)

    'Para bancos centrais ouro é como sol para vampiros'

    CC0 / Pixabay
    Economia
    URL curta
    376

    Um especialista em metais preciosos explicou como os bancos centrais manipulam os preços do ouro.

    A manipulação do preço do ouro por parte dos bancos centrais mundiais é um fato bem documentado, segundo Ronan Manly, especialista da casa de câmbio de metais preciosos BullionStar, de Singapura. Manly explicou ao canal de televisão RT por que essas entidades querem suprimir o preço de ouro.

    "Para os bancos centrais o ouro é como o sol para os vampiros. Sentem-se aterrorizados por ele, mas, ao mesmo tempo, ficam fascinados", disse Manly.

    Segundo ele, os bancos centrais entendem que o ouro é importante como ativo de reserva e respeitam seu papel no sistema monetário internacional, mas não estão dispostos a permitir que o livre comércio do ouro ponha fim à sua influência sobre a tendência de mercado do metal.

    Manly sublinhou que estes esforços para manter o preço do ouro abaixo de um valor determinado são "coordenados e orquestrados pelos EUA", porque o ouro é um instrumento que serve para medir a força relativa das moedas fiat, como o dólar e outras divisas, cujo valor é ditado pelos governos e não é respaldado por reservas físicas de ativos.

    O resultado da "colusão" entre essas entidades bancárias desde os anos 60 foi a introdução de duas mudanças estruturais no mercado do metal, destinadas a redirecionar a demanda do ouro físico para o ouro em papel.

    A primeira dessas mudanças consiste na introdução de ouro não afetado, ou seja, a realização de transações de ouro sem a entrega física do metal. O especialista explica que esse tipo de comércio encolhe o mercado do ouro físico e aumenta a volatilidade, o que, por sua vez, desencoraja os investidores de comprarem lingotes de ouro.

    O segundo método para restringir os preços é o empréstimo de ouro. Isso ocorre quando os bancos centrais introduzem seus lingotes de ouro no mercado, o que aumenta a oferta do metal e, portanto, faz o preço do metal cair. Este tipo de manobras "é totalmente opaco e oculto, sem relatórios obrigatórios nem voluntários dos bancos centrais", sublinhou Manly.

    "Os bancos centrais fazem todo o possível para garantir que o mercado não conheça o tamanho ou existência de empréstimos de ouro extraordinários", disse o especialista.

    Mais:

    Opinião: criptomoedas podem competir com ouro como reserva de valor
    Tags:
    ouro, bancos, finanças, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik