01:53 23 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Estande da Rosoboronexport durante fórum internacional técnico-militar ARMY-2016

    Analista militar explica por que sanções contra Rússia são inúteis

    © Sputnik / Alexey Filippov
    Economia
    URL curta
    9322

    O segundo lugar da Rússia em volume de exportação internacional de armamento convencional demonstra o trabalho eficaz de todo o sistema de cooperação militar e técnica e a ineficiência das sanções dos EUA, declarou para a Sputnik na segunda-feira (12), Igor Korotchenko, diretor do Centro de Análise do Comércio Mundial de Armas da Rússia.

    "A Rússia ocupa o segundo lugar em volumes de exportação internacional de armamento convencional, ampliando a cada ano a geografia e nomenclatura de fornecimentos. Isso mostra a posição estável da Rússia no mercado internacional de armamento e a ineficiência das sanções por parte dos EUA, cujo objetivo é romper vários contratos de fornecimento de armamento entre a Rússia e outros países", frisou Korotchenko.

    Além disso, ele enalteceu o eficaz trabalho do Serviço Federal de Cooperação Técnico-Militar e do Rosoboronexport como um exportador especial que "não apenas fabricam produtos militares competitivos, mas também armas que, muitas vezes, superaram as análogas dos EUA e outros países".

    De acordo com o Centro de Análise do Comércio Mundial de Armas da Rússia, os EUA ocupavam o primeiro lugar em volume de exportação de armamento no final de 2017. Segundo os dados preliminares, o volume de exportação militar chegou a 37,766 bilhões de dólares em 2017, ou seja, 40,95% do volume total mundial.

    No mesmo ranking, a Rússia ocupa o segundo lugar no quesito do volume de exportação de armamentos convencionais em 2017 e chega a 12,753 bilhões de dólares, ou 13,83% do volume total mundial. 

    O terceiro lugar é ocupado pela França, 7,697 bilhões de dólares ou 8,3% do volume total mundial. Assim como a Rússia, a França aumentou significativamente a exportação militar nos últimos anos.

    Para a maioria dos principais fornecedores de armamento, o segmento "não contabilizado" gira em torno de 3 a 5% do volume total de exportação. Para a Rússia esse índice é bem mais alto (15-20%) devido às peculiaridades dos contratos no segmento de peças de reposição, serviço e manutenção. Considerando o segmento "não contabilizado" do ano de 2017 e de três anos anteriores, a exportação da Rússia girava em torno de 15 bilhões de dólares, uma vez que foi intensificado o trabalho no setor de peças de reposição, serviço e manutenção. Mesmo assim, tanto para a Rússia como para outros países, os cálculos foram baseados em volumes de exportações identificados.

    Mais:

    Trump diz que apoiará controle mais rígido sobre compra de armas nos EUA
    'Ocidente não gosta que Rússia tenha poderosas armas modernas por simples razão'
    EUA planejam realizar primeiro grande desfile militar em 30 anos
    Tags:
    cooperação, armamento, volume, exportação, Rosoboronexport, Serviço Federal de Cooperação Técnico-Militar da Rússia, Igor Korotchenko, França, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik