14:09 12 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Ouro

    Economista que previu crise de 2008 avisa: preço do ouro explodirá e dólar será eliminado

    CC BY 2.0 / Bullion Vault
    Economia
    URL curta
    16300

    O investidor Peter Schiff advertiu que o mundo está se aproximando de uma crise fatal para o mercado de ações e para a divisa norte-americana.

    Peter Schiff, um dos poucos economistas que antecipou a crise financeira de 2008, dez anos depois prevê uma nova crise, que pode fazer colapsar o mercado de valores, acabar com o dólar norte-americano e fazer o mundo voltar ao ouro.

    O investidor declarou que a próxima crise será "muito pior" do que a anterior, e que não terá nada a ver com créditos hipotecários de alto risco: a nova crise estará ligada à solvência dos EUA. Schiff afirmou que, se o governo dos EUA optar por simplesmente imprimir mais dinheiro para pagar sua dívida, continuará inflacionando uma "bolha" que terá consequências catastróficas quando explodir.

    "Todos vão perder, todos os que estão festejando agora no mercado de valores, no de títulos e no mercado imobiliário, serão aniquilados", disse Schiff. "O dólar vai se afundar completamente e seu poder de compra desaparecerá", afirmou ele citado pelo site USA Watchdog.

    O investidor norte-americano acrescentou que o atual sistema financeiro não poderá continuar travando artificialmente os preços dos metais preciosos, não importa o montante de dívida que os governos assumam, especialmente o dos EUA.

    "Não podem continuar fazendo-o, isso vai acabar", disse ele. "O preço do ouro explodirá porque há compras físicas reais, e todas essas vendas de papel não podem camuflar isso". Schiff explicou que esse fenômeno vai ocorrer porque as pessoas estão começando a desconfiar dos bancos centrais e a optar por outras opções. "A alternativa real é o ouro", disse ele.

    Mais:

    Mídia: escafandristas britânicos encontraram 4 toneladas de ouro nazista
    Tags:
    finanças, dólar, ouro, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik