21:15 17 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Presidente russo, Vladimir Putin, com seu homólogo venezuelano, Nicolás Maduro

    Opinião: Rússia estende a mão à Venezuela, enquanto outros a afundam

    © Sputnik/ Aleksei Nikolsky
    Economia
    URL curta
    26338

    Enquanto a Standard & Poors baixou a classificação da dívida da Venezuela, a Rússia prestou ajuda ao país, que enfrenta graves dificuldades económicas.

    Em 15 de novembro Moscou e Caracas firmaram um acordo para reestruturar a dívida venezuelana no valor de 3,15 bilhões de dólares (R$ 10,4 bilhões). A Sputnik Mundo falou sobre este tema com o constituinte venezuelano Fernando Travieso.

    "Isso acontece no meio de uma luta das grandes potências europeias e dos Estados Unidos pelo controle das reservas de petróleo venezuelanas. Não aceitam que na Venezuela haja um governo popular, socialista e nacionalista no que tange ao uso dos recursos naturais. Criaram uma estratégia para desinformar o mundo sobre o que se passa aqui", disse Fernando Travieso, membro da Assembleia Nacional Constituinte da Venezuela, integrante da comissão da Economia e da subcomissão de Petróleo.

    Ele acrescentou que o Governo russo é "um aliado do povo da Venezuela e o demonstrou em situações difíceis".

    "A Venezuela nunca deixou de pagar um único dólar da dívida e assim continuará sendo. Estamos tentando renegociar as obrigações para que o portador tenha benefícios com o tempo e ter mais espaço para manter o investimento social, a prioridade do Governo bolivariano", detalhou Travieso.

    A Venezuela tem uma dívida de 150 bilhões de dólares (R$ 490 bilhões). Nicolás Maduro informou que, durante seus quatro anos de gestão, o país pagou em capital e juros 71,7 bilhões de dólares (R$ 234,3 bilhões).

    Mais:

    Calote da Venezuela no Brasil pode dar espaço para conflito com potências, diz economista
    O que está por trás da 'falência seletiva' da Venezuela?
    Maduro: Venezuela nunca declarará falência
    Tags:
    economia, dívida, Rússia, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik