02:11 20 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Manifestação em Barcelona contra a independência da Catalunha, em 1 de outubro de 2017

    Quase 2 mil empresas abandonam a Catalunha em meio a crise

    © Sputnik / Fernando Salgueiro
    Economia
    URL curta
    521

    Um total de 1.982 companhias baseadas na Catalunha decidiu deixar a região e se instalar em outras partes da Espanha após o início das tensões provocadas pelo referendo de independência realizado na comunidade autônoma.

    As informações foram reveladas pelo El País, com base em dados da União de Registro de Negócios da Espanha. A maior parte das empresas que se mudaram afirmou estar tentando evitar as incertezas legais em meio à situação política na região, que disputa com Madri o posto de mais rica do país. 

    Mais cedo, nesta quinta-feira, a juíza Carmen Lamela, da Audiência Nacional da Espanha, decretou a prisão do ex-vice-presidente da Catalunha, Oriol Junqueras, e de sete ex-secretários. 

    "Hoje, aqueles que expulsaram todas as empresas mais importantes da Catalunha foram para a prisão. Foram embora mais de 40% do PIB catalão."

    Após o referendo de independência, considerado ilegal pelo poder central, o governo espanhol adotou uma lei facilitando a mudança de empresas catalãs para outras partes da Espanha

    Mais:

    Procurador espanhol solicita ordem de prisão contra ex-líderes da Catalunha
    Portugal não acredita que possam ocorrer fraturas na Europa devido à Catalunha
    Ministro do Exterior ucraniano imagina 'tanques russos' na Catalunha
    Parlamento da Catalunha reconhece decisão de Madri de dissolvê-lo
    Tags:
    separatismo, independência, crise, Oriol Junqueras, Carmen Lamela, Madri, Espanha, Catalunha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik