03:59 21 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    A cidade de Xangai, na China, que abriga a sede do Novo Banco de Desenvolvimento, o chamado Banco do BRICS

    'Não devemos julgar severamente banco do BRICS'

    © AFP 2019 / JOHANNES EISELE
    Economia
    URL curta
    310

    Os projetos realizados pelo Novo Banco de Desenvolvimento (NBD) dos países BRICS dão um impulso adicional à cooperação entre os países membros do BRICS, disse na quarta-feira (1) Yaroslav Lisovolik, economista principal do Banco de Desenvolvimento Eurasiático.

    Os líderes russo, sul-africano, indiano, chinês e brasileiro na reunião multilateral durante a IX cúpula dos BRICS e, Xiamen, em 4 de setembro de 2017
    © Sputnik / Grigory Sysoev
    Durante o seu discurso na conferência internacional Rússia e China: Desafios e Perspectivas da Integração Internacional, ele sublinhou que "não devemos julgar severamente o banco do BRICS porque está no início do seu desenvolvimento".

    "Entretanto, já existem projetos que estão sendo realizados com a participação do banco: o primeiro projeto foi lançado no ano passado na república de Carélia [Rússia] no setor energético. Estamos cooperando com o banco do BRICS no âmbito desse projeto", explicou Lisovolik.

    Segundo ele, o banco já anunciou uma série de projetos, incluindo no setor de energia da Rússia. "É evidente que a cooperação desse tipo vai continuar. Neste ano assinamos um memorando de cooperação entre o Banco de Desenvolvimento Eurasiático e o banco do BRICS", disse o especialista.

    Lisovolik sublinhou que os projetos lançados com o NBD impulsionam a interação entre as regiões. "Após o lançamento do projeto mencionado, os representantes de Carélia participaram da cúpula do BRICS na Armênia no ano passado e assinaram acordos sobre a cooperação econômica com várias regiões da China", acrescentou ele.

    Está sendo lançado o mecanismo de interação entre diferentes regiões dos países do BRICS. "Há um grande potencial para a cooperação", concluiu o economista.

    Em setembro os líderes do BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) decidiram criar o fundo de obrigações em moedas nacionais dos países membros do bloco. O objetivo do fundo é contribuir para a estabilidade financeira nos países do BRICS, estimular o desenvolvimento dos mercados nacionais e regionais de obrigações através do aumento da participação do capital estrangeiro e da melhoria da solvabilidade financeira dos países do BRICS.

    Mais:

    Cobertura fotográfica do segundo dia da cúpula do Brics
    Diplomata mexicano elogia formato 'BRICS+' e consequente ampliação do grupo (EXCLUSIVO)
    Tags:
    relações econômicas, projeto, NBD, BRICS, Brasil, China, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar