02:13 24 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Trabalhador usando martelo perto da saída da embarcação HMS Queen Elizabeth

    Quanto vai pagar pelo Brexit cada trabalhador britânico?

    © REUTERS/ Russell Cheyne
    Economia
    URL curta
    268621

    O Reino Unido enfrentará uma redução na economia de 532 bilhões de dólares (mais de 1,6 trilhão de reais) se sair da União Europeia sem acordo comercial, de acordo com análise da companhia holandesa Rabobank.

    O economista sênior do banco, Hugo Erken, disse à Sputnik Internacional que as previsões depois do "duro Brexit" são "bastante sombrias".

    De acordo com o novo relatório sobre as possíveis relações comerciais depois da saída do Reino Unido da UE, seria descontado de cada trabalhador britânico uma quantia equivalente a 15.300 dólares (por volta de 45.000 reais) até 2030 devido ao Brexit.

    Analistas do serviços bancário e financeiro da empresa holandesa Rabobank utilizaram métodos econométricos de modelação para analisar três cenários diferentes das relações comerciais do Reino Unido com a União Europeia depois do Brexit. O primeiro se chama "Brexit suave", segundo o qual o país permanece em partes no mercado comum, mas sai da união alfandegária.

    "O segundo cenário seria um acordo de livre comércio, que pode ser comparado, por exemplo, com o caso da Suíça e UE, e o cenário do ‘Brexit duro’ que representa a ausência de acordo comercial", explicou Hugo Erkenm, economista sênior da Rabobank.

    Contudo, o último cenário "se torna cada vez mais real" na medida em que as negociações entre o Reino Unido e a UE estão sendo realizadas em Bruxelas, disse ele à Sputnik Internacional.

    Na segunda-feira (9), a primeira-ministra britânica, Theresa May, declarou que o país tem de se preparar para a possível saída da UE sem acordo comercial. Ela expôs alguns passos para "minimizar a ruptura" nas fronteiras britânicas tal como enormes áreas de estacionamento para caminhões a fim de prevenir engarrafamentos.

    A Rabobank avaliou os macroefeitos do Brexit no Reino Unido e na União Europeia ao modelar o impacto a curto prazo nos fluxos comerciais entre os países, investimentos diretos, estrangeiros e câmbio.
    Os analistas também fizeram previsões “bastante sombrias” quanto ao crescimento econômico a longo prazo depois do Brexit, analisando tais fatores como capital humano, impacto dos ciclos de negócio, participação trabalhista, nível de impostos corporativos e capital doméstico R&D (Pesquisa e Desenvolvimento).

    Rabobank acredita que se o Reino Unido sair da união alfandegária, com o direito de estabelecer suas próprias tarifas de impostos, mas permanecendo no mercado único com circulação livre dos bens, capitais, serviços e força trabalhista da Europa, então perderá 10% do PIB. O segundo cenário, baseado no livre comércio entre Reino Unido e UE, custará ao país 12,5% do PIB.

    No caso do "duro Brexit", o potencial crescimento é de 1,3% no ano de 2030 comparado com 2,1% se o país permanecesse na União. A diferença é cerca de 15.300 dólares (por volta de 45.000 reais) por cada trabalhador britânico.

    Observando os impactos da saída do Reino Unido para seu país, a Robobank ressalta que os trabalhadores holandeses vão perder de 3.845 dólares (11.500 reais) a 4.732 dólares (cerca de 14.000 reais) por pessoa se o acordo comercial não for assinado.

    "Vimos que, especialmente no caso do Brexit duro, o crescimento econômico a longo prazo no Reino Unido cairá bastante de 2% a 1,3%. Trata-se de um choque substancial para o crescimento a longo prazo para o Reino Unido também", disse Erken.

    Mais:

    Apesar de críticas, Theresa May se diz 'resiliente'
    Milhares marcham contra o Brexit em Londres
    Reino Unido manda avisar: Não vai pagar somas vultuosas pelo Brexit à União Europeia
    Tags:
    PIB, Brexit duro, crescimento econômico, Theresa May, União Europeia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik