20:19 21 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Yuan chinês

    China está pronta para mudar regras dos EUA no mercado de petróleo

    © Sputnik / Aleksandr Demyanchuk
    Economia
    URL curta
    23310
    Nos siga no

    Pequim está pronta para lançar contratos de futuros de petróleo em iuanes com sua possível conversão em ouro. Vários especialistas acreditam que essa medida do país asiático pode mudar radicalmente as regras do jogo no mercado do petróleo, já que permitirá aos exportadores de matérias-primas evitar o uso do dólar.

    Tomando em conta que a China é o maior importador de petróleo do mundo, os contratos de futuros em iuanes têm todas as chances de se tornar o novo padrão no mercado.

    Um contrato de futuros é um acordo que obriga as partes a comprar ou vender um ativo por um preço fixo e para ser entregue em um prazo futuro estipulado antecipadamente.

    É de assinalar que atualmente apenas os contratos de petróleo WTI e petróleo Brent são negociados no mercado de futuros mundiais e ambos são denominados em dólares.

    O surgimento de um novo contrato de futuros em iuanes permitirá aos exportadores, como a Rússia e o Irã, não usar o dólar. Os compradores poderão pagar o petróleo em iuanes ou ouro, depois de converterem o iuane em onças de metal precioso.

    De acordo com o portal russo Vesti Finance, muitos especialistas, incluindo norte-americanos, reconhecem que agora as regras do jogo no mercado global de energia podem mudar.

    Com essa inovação, a China planeja reduzir o domínio do dólar nos mercados de commodities. O novo tipo de contrato de futuros é de grande interesse para os países contra os quais os EUA aplicam uma política externa muito agressiva. Entre estes países estão a Venezuela, o Irã, o Qatar e outros.

    Mais:

    Efeito Trump: mercado prevê redução menor de juros no Brasil e previsão do dólar sobe
    Economia matutina: rublo cresce, dólar cai
    Chávez morreu tentando acabar com ditadura do dólar, diz vice-presidente da Venezuela
    Tags:
    finanças, commodities, petróleo, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar