11:39 11 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Economia
    URL curta
    4121
    Nos siga no

    Na economia russa se observam sinais evidentes de que a dívida pública sobreviveu à dura prova das sanções, disse o analista financeiro.

    O prédio do Ministério das Finanças da Rússia
    © Sputnik / Sergei Pyatakov
    Recentemente o Ministério das Finanças da Rússia realizou duas emissões de obrigações em um montante total de 40 bilhões de dólares. A demanda por parte dos investidores foi quase duas vezes superior à oferta.

    Estas obrigações de dívida pública federal são emitidas pelo Ministério das Finanças da Rússia para atrair novos investidores à economia.

    Segundo vários especialistas entrevistados pela revista russa Expert, o aumento da demanda está relacionado com a recuperação dos preços do petróleo e a conjuntura favorável no mercado.

    O analista financeiro da empresa Gerchik&Co, Viktor Makeev, disse que as sanções recentemente introduzidas pelos EUA contra a Rússia podem impedir o desenvolvimento da economia russa, já que Washington ameaça bloquear o acesso aos capitais estrangeiros. 

    Esses capitais são indispensáveis para os projetos que a Rússia realiza com os seus parceiros ocidentais.

    O agravamento das relações com a UE na realidade pode afetar a economia russa. No entanto isso também não é benéfico para os países europeus. Para entender basta ver a evolução do PIB da UE. 

    A economia dos países europeus continua instável, as taxas de crescimento do seu PIB são equivalentes às registradas em 2014.

    Ao mesmo tempo, o PIB da Rússia está regressando aos níveis registrados antes de 2013, quando sofreu uma drástica queda. Por exemplo, em maio o PIB russo cresceu 3,1%.

    "Por agora, se pode constatar que a prova das sanções foi superada e que o principal motor [da economia] e a maior fonte de receitas de exportação, do qual depende o rublo e o orçamento do país, é o petróleo", disse o analista.

    Atualmente, o preço do petróleo varia em torno de 50 dólares por barril. Makeev não vê qualquer fator que possa levar a uma futura diminuição do seu preço.

    Mais:

    Pequim: China vai pagar o preço das sanções contra a Coreia do Norte
    Conselho de Segurança da ONU aprova novas sanções contra Coreia do Norte
    Tags:
    dívida pública, sanções, finanças, Ministério das Finanças da Rússia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar