08:36 22 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Presidente da Rússia. Vladimir Putin, depois da reunião com a presidente sul-coreana no âmbito do Fórum Econômico do Oriente, 3 de setembro de 2016

    Ex-premiê da Austrália expressa sua admiração por plano de Putin

    © Sputnik/ Aleksey Filippov
    Economia
    URL curta
    12244111

    Em entrevista exclusiva para a Sputnik Internacional, Kevin Rudd, ex-premiê australiano, fala da sua impressão sobre os líderes do Japão, da Rússia e da Coreia do Sul, bem como da segurança na região da Ásia-Pacífico e compartilha suas expectativas relativamente à cúpula do G20.

    Kevin Rudd desempenhou o papel de moderador durante a discussão entre a Rússia, o Japão e a Coreia do Sul no recente Fórum Econômico de Vladivostok.

    Ele destaca três pontos-chave que o impressionaram nesta discussão.

    "Primeiramente, quanto ao presidente Putin, é evidente que ele aplicou muitos esforços para detalhar o plano de desenvolvimento econômico do Extremo Oriente russo. Após o ouvir, eu compreendi que se trata de um plano razoável: portos livres, não apenas em Vladivostok, mas em outras quatro regiões especiais, benefícios fiscais, aprovações dos órgãos reguladores, facilitação de negócios, melhores acordos de vistos — me parece que o governo é sério na sua intenção do desenvolvimento da região".

    "Fiquei bastante impressionado com a profundidade do que está sendo proposto, não são só palavras, há muita ação, porque há aqui homens de negócio japoneses e coreanos", assinala Rudd.

    Outra coisa que Kevin Rudd destacou foi o comportamento do premiê japonês na aspiração dele de celebrar o acordo de paz com a Rússia, bem como a prontidão dele de se afastar do roteiro dos EUA e se aproximar da Rússia, partindo apenas dos interesses nacionais.

    A presidente da Coreia do Sul, de acordo com Rudd, pode ser tomada como exemplo no seu desejo de evitar um conflito com a Coreia do Norte, apelando aos outros países para lidar com este problema.

    Falando do assunto das tensões atuais na região Ásia-Pacífico, o ex-premiê da Austrália destaca: "Nossa região é muito complicada. Ela está cheia de tensões estratégicas bilaterais, cheia de disputas territoriais, mas também é caracterizada por níveis crescentes de integração económica regional e, portanto, você tem fatores que nos reúnem e fatores que nos afastam uns dos outros, tudo ao mesmo tempo. Sobre as questões de segurança, a minha opinião é que existem alguns dilemas de segurança na Ásia Oriental e Pacífico Ocidental que não podem ser resolvidos dentro de um futuro próximo. Mas há alguns desafios à segurança que pode ser resolvidos. A conjugação de interesses do Japão, da Coreia, da China, da Rússia e dos Estados Unidos em pôr fim ao programa norte-coreano de armas nucleares é um deles. Isso exige um esforço diplomático concertado por parte de todos os países" explicou o político australiano em entrevista para a Sputnik Internacional.

    Abordando a cúpula do G20 que está decorrendo na China e a contribuição que esta poderá dar para o desenvolvimento econômico global, Kevin Rudd disse: "Primeiro, precisamos de parar com a introdução de mais medidas protecionistas, que são ruins para a economia global. Atualmente, o comércio global já não é a locomotiva do crescimento econômico. O crescimento econômico global é atualmente de cerca de 3 por cento e o crescimento do comércio global é de 2,9 por cento. Historicamente, o comércio mundial era sempre duas ou três vezes superior ao crescimento económico, mas agora ele está puxando para trás," observa Kevin Rudd.

    A segunda coisa que o G20 pode fazer, acrescenta Rudd, é olhar para os novos motores do crescimento global: infraestrutura, a economia digital e a economia verde. A economia verde global cresce anualmente cerca de 8,5 por cento, cerca de três vezes mais que o crescimento global.

    "O que falta aqui é o aspeto financeiro. Nós precisamos colocar as finanças atrás de projetos de produção de energias renováveis, reduzir o consumo de energia convencional, isto é um novo motor de crescimento para o futuro", disse. Ele também apontou a importância do sistema financeiro digital no desenvolvimento de pequenas e médias empresas em todo o mundo, particularmente em áreas sem acesso aos grandes mercados.

    Mais:

    Obama tem recepção fria no G20 (VÍDEO)
    Cúpula do G20 é oficialmente inaugurada
    Japão reforça cooperação com Coreia do Sul e China sobre Coreia do Norte
    Tags:
    disputa territorial, relações econômicas, relações comerciais, Cúpula do G20, Fórum Econômico do Oriente, Shinzo Abe, Vladimir Putin, Vladivostok, Rússia, Austrália
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik