10:06 22 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    7511
    Nos siga no

    Taipé, que já tem previstos US$ 16,89 bilhões para a defesa em 2022, deverá gastar US$ 9 bilhões adicionais nos cinco anos seguintes, dizendo que é urgente obter novas armas "em um curto período de tempo".

    Taiwan acrescentará mais US$ 9 bilhões (R$ 49,67 bilhões) às suas despesas militares previstas para os próximos cinco anos, relatou na quinta-feira (7) o portal Defense News.

    A medida, que priorizará armas de longo alcance e antinavio para contrariar o crescimento militar da China, ainda terá de ser aprovada pelo Parlamento de Taiwan, mas isso deverá acontecer devido à maioria na legislatura ser detida pelo Partido Democrático Progressista da presidente Tsai Ing-wen.

    Segundo Wang Shin-lung, vice-ministro da Defesa, a maior parte dos fundos será destinada a projetos de armas de fabricação nacional, enquanto uma parte menor irá para peças e apoio tecnológico dos EUA. O Ministério da Defesa de Taiwan detalhou que o dinheiro cobriria mísseis de cruzeiro e navios de guerra nacionais, enquanto Wang especificou que se tratava do sistema de defesa antiaérea Antelope, do míssil de cruzeiro de longo alcance Wan Chien e do míssil antinavio Hsiung Feng IIE.

    Wang informou ainda que parte do financiamento adicional seria usada para adquirir corvetas de mísseis, navios de desembarque e submarinos diesel-elétricos nacionais para a Marinha de Taiwan.

    O orçamento governamental para o ano fiscal de 2022, que corresponde em Taiwan ao ano civil, tem previstos US$ 16,89 bilhões (R$ 93,21 bilhões) para o setor militar. Ainda não está claro se os US$ 9 bilhões seriam utilizados para obter o helicóptero antissubmarino MH-60R Seahawk dos EUA, que o Ministério da Defesa de Taiwan tentou inscrever no orçamento do próximo ano no último momento.

    Pequim tem aumentado no último ano os voos militares sobre a zona de identificação de defesa aérea de Taiwan, sendo que na última sexta-feira (1º) a China realizou sua maior incursão até agora, que incluiu 38 aviões. A ilha tem procurado reforçar laços com os EUA, Japão, Austrália e outros países em meio a temores de invasão, enquanto a China defende que Taipé acabará por se reunificar com o país.

    "A China comunista tem continuado a investir fortemente em seu orçamento de defesa, sua força militar tem crescido rapidamente, e tem frequentemente enviado aviões e navios para invadir e assediar nossos mares e espaço aéreo. Diante das severas ameaças do inimigo, os militares da nação estão engajados no trabalho de construção e preparação militar, e é urgente obter armas e equipamentos maduros e de produção rápida em massa em um curto período de tempo", comentou o Ministério da Defesa de Taiwan.

    Mais:

    China implanta seus novos caças J-16D em base aérea perto de Taiwan, mostra FOTO de satélite
    Ministro da Defesa de Taiwan afirma que Pequim pode invadir ilha até 2025
    Taiwan aciona caças após 52 aeronaves militares chinesas voarem próximo de seu espaço aéreo
    Para resolver situação 'complexa' no estreito de Taiwan, Xi apela para 'reunificação nacional'
    Tags:
    Taiwan, China, EUA, Ministério da Defesa, Sikorsky MH-60R Seahawk, MH-60 Seahawk, Marinha, Partido Democrático Progressista, Tsai Ing-wen, Defense News
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar