23:56 23 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    4615
    Nos siga no

    Os militares dos EUA estão implantando dezenas de caças de quinta geração no Alasca devido ao aumento drástico de atividades de aviões russos perto da fronteira desta região, aponta site Business Insider.

    De acordo com o autor do artigo, o especialista militar Christopher Woody, Washington está reforçando sua posição na "região estrategicamente mais importante" – no Alasca, onde os EUA estão entrando em uma competição cada vez mais disputada com a Rússia e a China.

    O artigo observa que durante a Guerra Fria os militares americanos se concentraram na criação de meios de defesa antiaérea no Alasca, implantando na região bombardeiros e outros aviões de guerra, além de colocarem radares de alerta precoce distribuídos pelo estado.

    Após o colapso da União Soviética, o interesse dos EUA na região diminuiu, mas nos últimos anos a Marinha americana tem aumentado sua presença em torno deste estado.

    Estação de radar na base da Força Aérea dos EUA de Clear, no Alasca
    Estação de radar na base da Força Aérea dos EUA de Clear, no Alasca
    Segundo o especialista, o Pentágono está preocupado com as "atividades da aviação russa no Alasca", que alegadamente atingiram o nível mais alto desde os tempos da Guerra Fria. Enquanto isso, a Força Aérea dos EUA tem reforçado sua presença militar na região e atualmente "tem a maior presença militar no Ártico nos últimos anos".

    Woody enfatiza que, com mais de 50 caças F-35 implantados na base aérea de Eielson e mais de 50 aeronaves F-22 na base conjunta Elmendorf-Richardson, o Alasca será a região com a maior concentração de caças de 5ª geração.

    Mais:

    Turquia pretende comprar outro lote do sistema de mísseis russos S-400, diz Erdogan
    Raio atinge e danifica 2 caças F-35B dos EUA em pleno voo; reparos custarão mais de US$ 2,5 milhões
    EUA testam com sucesso míssil antirradar projetado para neutralizar sistemas russos
    Tags:
    Força Aérea dos EUA, avião de ataque, Rússia, Alasca, defesa antiaérea, Ártico
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar