06:12 01 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    7471
    Nos siga no

    Em conexão com o incidente que envolveu o destróier HMS Defender no mar Negro, os Estados Unidos e o Reino Unido estão tentando com suas ações provocar um conflito, declarou nesta sexta-feira (25) Sergei Ryabkov, o vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia.

    Ele ressaltou que os dados divulgados pelo Serviço Federal de Segurança da Rússia (FSB) das comunicações entre o comando do navio da Guarda Costeira da Rússia e o comando do destróier britânico "não só colocam todos os pontos nos ii, mas também põem fim ao episódio de tentativas maliciosas de altos funcionários em Londres e alguns representantes da administração dos EUA distorcer o conteúdo do acontecido".

    "Com suas ações eles tentam esquentar a situação e, basicamente, provocar um conflito. Isso contradiz totalmente as normas do direito internacional, independentemente do que tenham dito ao microfone o comandante ou o imediato do destróier Defender", disse Ryabkov.

    Vice-ministro afirmou ainda que a Rússia utilizará todos os meios, incluindo militares, para defender suas fronteiras. Ele disse que as versões de Washington e Londres não correspondem à realidade, já que a Crimeia é território da Rússia e, consequentemente, o navio estava em águas territoriais da Rússia.

    "Estas são águas territoriais da Rússia, é a nossa fronteira. E nós vamos protegê-la com todos os meios a nossa disposição, incluindo os militares. Confirmo isso", advertiu Ryabkov.

    Embaixada da Rússia nos EUA denominou as alegações do porta-voz do Pentágono, John Kirby, em relação ao incidente com o destróier britânico no mar Negro como infundadas.

    Destróier HMS Defender, Type 45, da Marinha Real britânica, filmado de um avião militar russo no mar Negro, em 23 de junho de 2021
    © REUTERS / Ministério da Defesa da Rússia / Handout
    Destróier HMS Defender, Type 45, da Marinha Real britânica, filmado de um avião militar russo no mar Negro, em 23 de junho de 2021

    Anteriormente, o porta-voz da entidade militar dos EUA havia afirmado que, de acordo com Londres, os dados sobre disparos de advertência eram "desinformação russa".

    "A descrição do acontecido publicada pelo FSB está disponível publicamente", comentou a embaixada russa no Twitter.

    A entidade diplomática da Rússia nos EUA acrescentou que a "negação do óbvio" por parte dos EUA sugere que no Pentágono "continuam permanecendo nas ilusões sobre a situação real dentro e em redor da Crimeia russa".

    Nesta quarta-feira (23), o Ministério da Defesa da Rússia informou sobre a violação da fronteira nacional do país pelo destróier HMS Defender da Marinha Real do Reino Unido. O navio britânico atravessou a fronteira russa e entrou três quilômetros em águas russas no mar Negro. O Ministério da Defesa do Reino Unido negou a violação da fronteira russa.

    Mais:

    VÍDEO mostra Frota do Mar Negro alertando violação da fronteira russa por destróier britânico
    Soldados britânicos bêbados são expulsos de trem na Estônia perto da fronteira com Rússia
    Rússia monitora ações de 2 navios de guerra da OTAN após entrarem no mar Negro
    Tags:
    Destróier, navio de guerra, Reino Unido, Rússia, mar Negro, EUA, Pentágono
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar