17:01 21 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    0 58
    Nos siga no

    Força Aérea dos EUA terminou a primeira fase de testes de suas munições colaborativas interconectadas Golden Horde (Horda Dourada) que funcionam em enxame de forma semiautônoma e utilizam algoritmos para buscar alvos de alta prioridade.

    De acordo com o portal Defense News, pela primeira vez foram testadas ao mesmo tempo seis bombas colaborativas de pequeno diâmetro (CSDB, na sigla em inglês), avança portal Defense News.

    As bombas CSDB estabeleceram uma ligação de comunicação entre si e com uma estação terrestre para alcançar com êxito o primeiro objetivo – ligar as seis munições utilizando uma rede de rádio, após testes prévios com duas e quatro bombas.

    Durante a etapa seguinte, informações atualizadas foram transmitidas ao enxame de CSDB a partir da estação terrestre. Como consequência, duas bombas destruíram simultaneamente um alvo, enquanto outras duas atingiram dois alvos diferentes.

    Quatro bombas colaborativas de pequeno diâmetro (CSDB) suspensas da asa de um caça F-16 Fighting Falcon durante testes
    © Foto / U.S. Air Force
    Quatro bombas colaborativas de pequeno diâmetro (CSDB) suspensas da asa de um caça F-16 Fighting Falcon durante testes
    A fim de realizar a segunda fase, a Força Aérea dos EUA enviou os dados ao enxame das CSDB que já estavam em voo, ordenando que abandonassem sua trajetória atual e se redirecionassem para o novo alvo.

    A ideia destas munições consiste na criação de um conjunto de bombas interligadas, que têm asas dobráveis e podem percorrer 75 quilômetros. O propósito é que durante o voo os dados sejam intercambiados e elas decidam se há alvos mais apropriados para o ataque.

    Mais:

    X-37B é bombardeiro espacial? Revelado modo como EUA poderiam realizar ataque nuclear contra Rússia
    Casa Branca teria aprovado venda de armas de US$ 735 milhões a Israel em meio a tensões com Hamas
    Força Aérea dos EUA prepara teste de nova tecnologia de bombas em rede
    Tags:
    Força Aérea dos EUA, munições, tecnologia militar, inteligência militar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar