06:25 16 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    14493
    Nos siga no

    O caça J-20, de quinta geração, pode vir a ser o mais importante da China, justamente por ser mais do que apenas um caça furtivo.

    O gigante asiático enviou duas de suas melhores aeronaves para a fronteira do país nos Himalaias, em 2020, onde ocorreu uma disputa com a Índia.

    Apesar de a implantação ter sido consideravelmente pequena para demonstrar uma estratégia significativa, a ação teria mostrado a importância que a China atribui a esta aeronave, além de enviar uma mensagem para Taiwan, Japão e EUA.

    Contudo, de acordo com o portal Business Insider, o caça J-20, assim como todas as aeronaves chinesas, tem sido prejudicado pela falta de motores a jato eficientes e duráveis, de alto desempenho, ressaltando que Pequim está trabalhando duro para corrigir este problema.

    Um exemplo deste problema crônico é o motor WS-10A, projetado pelos chineses, que falha a cada 30 horas de uso.

    Para o especialista da Rand Corporation Timothy Heath, as tecnologias de ponta "são muito complexas de produzir e, por isso, poucos países conseguem obter êxito.

    A China utiliza a engenharia reversa para desenvolver suas aeronaves e motores. Entretanto, mesmo que o motor possa ser copiado, seus segredos de produção não saem da fábrica do país de origem, indica o portal.

    Ciente disso, a empresa estatal Aviation Industry Corp. of China (AVIC, na sigla em inglês) classificou o desenvolvimento de motores domésticos como "uma tarefa política urgente", ressaltando que o país está enfrentando um "desafio sem precedentes".

    Apesar das dificuldades, os chineses têm feito alguns progressos, como é o caso da última versão do WS-10. Além disso, fontes chinesas afirmam que o WS-15, um motor especialmente projetado para o J-20, deve ser concluído em "um ou dois anos".

    Mesmo com os avanços, os chineses enfrentam desafios como a complexidade dos materiais e o processo de metalurgia, bem como os custos de aquisição e manutenção dos conhecimentos científicos e de fabricação, para além da relutância de outros países em ajudar a China nesta área.

    Para desenvolver equipamentos complexos é preciso uma combinação perfeita de pessoas, tecnologias e capacidades, afirma Heath.

    Por sua vez, um pesquisador chinês afirmou que "todos os elementos podem ser alcançados somente através de investimento a longo prazo e desenvolvimento incremental".

    Mais:

    China anuncia planos para novo caça furtivo de última geração
    VÍDEO mostra caça chinês J-20 em novo nível de prontidão de combate
    Após China enviar 4 caças à região, navio de guerra dos EUA navega no estreito de Taiwan (FOTOS)
    Tags:
    China, avião de assalto, avião de combate, avião de ataque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar