02:04 21 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    3627
    Nos siga no

    A Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) afirma não considerar a China como um adversário, mas incluirá o país no Novo Conceito Estratégico pela primeira vez.

    O secretário-geral da Aliança Atlântica, Jens Stoltenberg, assegurou que na próxima reunião de cúpula da OTAN, em 14 de junho, a China será debatida como nunca, incluindo sobre decisões específicas relacionadas aos avanços tecnológicos de Pequim, e sobre como os membros da aliança poderão proteger-se de futuros ataques cibernéticos.

    "A China está se afirmando no cenário global. A OTAN não vê a China como um adversário. Existem oportunidades de cooperação com Pequim [em] questões como comércio, mudanças climáticas e controle de armas", disse Stoltenberg, durante um evento virtual organizado pela Instituição Brookings, com sede em Washington, EUA. "No conceito estratégico existente da OTAN, não mencionamos a China uma única vez. Posso garantir que no Novo Conceito Estratégico, a China será mencionada".

    Adicionalmente, Stoltenberg afirmou que a OTAN reconhece as mudanças no balanço do poder mundial como resultado da ascensão da China que, por sua vez, tem criado alguma ansiedade em questões de segurança, pelo que agora a Aliança Atlântica se tornou ainda mais importante para os EUA.

    As tensões entre a China e os EUA, bem como seus aliados, são evidentes, principalmente no que toca a região do Indo-Pacífico.

    Mais:

    Premiê britânico considera prioridade da OTAN combate às 'ameaças do leste'
    Quando se trata de roubar segredos, EUA sempre estão em 1º lugar no mundo, declara China
    Aparecimento mais frequente de inteligência da OTAN em território da Noruega é um 'sinal à Rússia'
    Tags:
    estratégia, ameaça, tensões, China, OTAN
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar