22:33 18 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    14728
    Nos siga no

    A Força Aérea dos EUA tem recentemente treinado a dispersão dos caças furtivos F-22 implantados no Alasca para uma pequena pista de aterrissagem.

    Como parte do exercício Agile Combat Employment, aviões F-22 da Base Conjunta Elmendorf-Richardson – a principal base do Pentágono no Alasca – voaram para o aeroporto King Salmon localizado, 482 km a sudoeste, escreve Forbes.

    O referido exercício é uma nova e importante abordagem na condução de guerra aérea, ou seja, em vez de concentrar os caças em um pequeno número de bases grandes e vulneráveis, ficando desta maneira expostos a ataques, a Força Aérea dos EUA está construindo novas pequenas pistas de aterrissagem e remodelando antigas e desativadas para que os esquadrões de caças possam ser espalhados em vários lugares.

    Ao dispersar aviões em um número maior de bases menores coloca as aeronaves mais perto do cenário da ação e, além disso, complica o planejamento de ataque do possível adversário.

    A Força Aérea dos EUA mal começou a preparar novas pistas de aviação no Alasca. O exercício que envolveu o aeroporto King Salmon é um bom começo. Mas se a entidade militar reabrir a estação aérea de Eareckson na ilha de Shemya, então isso já criaria mais animação.

    Bombardeiro russo Tu-95 sendo acompanhado por caça F-22 Raptor dos EUA perto do Alasca
    Bombardeiro russo Tu-95 sendo acompanhado por caça F-22 Raptor dos EUA perto do Alasca

    De acordo com a edição, várias bases aéreas no Alasca e no norte do Canadá foram construídas no início da Guerra Fria para defesa dos bombardeiros nucleares soviéticos. No entanto, apenas a pista de aviação King Salmon consegue receber rotineiramente caças, já a Eareckson não recebe aviões de combate desde início dos anos 1990.

    A base de Eareckson se situa na ilha de Shemya, que faz parte das ilhas Aleutas. A referida ilha, de 15,5 quilômetros quadrados, tem uma localização estratégica e fica a apenas 320 km da Rússia.

    Ao operar da base Eareckson, caças dos EUA estariam em posição ideal para interceptar aviões de guerra russos sobre o mar de Bering.

    Por outro lado, tal como em outras ilhas próximas, as condições climáticas em Shemya são muito adversas, as chuvas são constantes, o nevoeiro cobre a pista e frequentemente há ventos tempestuosos.

    Mais:

    'Novos teatros de conflito' poderiam surgir entre Rússia e EUA no Ártico, adverte Blinken
    EUA desenvolvem interceptador para derrubar mísseis hipersônicos
    Aumento de voos de aviões russos perto do Alasca 'exige muito' da Força Aérea dos EUA, diz revista
    Tags:
    Rússia, EUA, Força Aérea, bombardeiros, F-22 Raptor, Alasca, base aérea
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar