05:05 12 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    0 62
    Nos siga no

    Embora especialistas estivessem prevendo uma redução dos gastos militares por conta da crise desencadeada pelo novo coronavírus, relatórios indicam que o setor parece não ter sido muito afetado pela tragédia que parou o mundo em 2020.

    Os gastos militares globais no último ano aumentaram 2,6% em comparação com os números de 2019, atingindo US$ 1,98 trilhão (R$ 10,85 trilhões), conforme documento publicado na noite deste domingo (25) pelo Instituto Internacional de Pesquisa para a Paz de Estocolmo (SIPRI). 

    Os gastos militares mundiais sobem para quase US$ 2 trilhões em 2020, de acordo com novos dados publicados hoje pelo SIPRI. ​

    Na liderança do ranking de países com maiores orçamentos militares estão Estados Unidos, China, Índia, Rússia e Reino Unido. Juntas, essas nações foram responsáveis por 62% dos gastos com defesa em 2020. Os EUA, líderes absolutos, aumentaram em 4,4% seus gastos, com valores estimados em US$ 778 bilhões (R$ 4,26 trilhões). 

    O levantamento destaca que esse aumento nos gastos militares mundiais ocorreu em um ano em que o Produto Interno Bruto (PIB) global encolheu 4,4%, segundo projeção do Fundo Monetário Internacional. Como resultado, os gastos com defesa alcançaram uma média global de 2,4% do PIB no último ano, contra 2,2% no ano anterior. Esse foi o maior aumento anual desde a crise financeira e econômica global em 2009. 

    ​Em 2020, as despesas militares aumentaram na África (5,1 %), Europa (4.0 %), Américas (3,9 %) e Ásia e Oceania (2,5 %). As despesas militares dos países do Oriente Médio para os quais existem dados disponíveis diminuíram 6,5%. 

    Embora esses gastos tenham aumentado globalmente, alguns países, como Coreia do Sul e Chile, realocaram explicitamente parte de seus gastos militares planejados para a resposta à pandemia. Muitos outros, incluindo Brasil e Rússia, gastaram consideravelmente menos do que previam seus orçamentos militares iniciais para 2020, destaca o instituto.

    "Podemos dizer com alguma certeza que a pandemia não teve um impacto significativo nos gastos militares globais em 2020", afirmou o especialista Diego Lopes da Silva, pesquisador do Programa de Despesas Militares e de Armas do SIPRI, citado pela instituição. "Resta saber se os países manterão esse nível de gastos militares durante um segundo ano de pandemia".

    Mais:

    Doutrina pacifista ou resposta às tensões? Japão está aumentando seus gastos militares
    Israel investiga como suas defesas aéreas falharam na intercepção de míssil da Síria
    EUA implantam novo sistema de defesa antiaérea na Europa (FOTO)
    Exército do Irã revela 7 novos produtos militares, incluindo armas de defesa antiaérea (FOTO)
    Tags:
    militar, armas, defesa, crise, pandemia, investimentos, gastos, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar