18:38 16 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    355
    Nos siga no

    A Coreia do Sul declarou ser capaz de interceptar mísseis de curto alcance, lançados pela Coreia do Norte, após o país vizinho realizar uma série de testes de mísseis nas últimas semanas.

    Nesta quinta-feira (1º), o Ministério da Defesa da Coreia do Sul informou que o país pode interceptar mísseis balísticos de curto alcance norte-coreanos, de acordo com a agência Yonhap.

    "A Coreia do Sul tem capacidade e postura para interromper completamente os mísseis de curto alcance da Coreia do Norte, inclusive os balísticos, com o Sistema de Defesa Antimíssil Coreia do Sul-EUA", disse o porta-voz do ministério, Boo Seung-chan.

    Em 25 de março, a Coreia do Norte lançou dois mísseis balísticos de curto alcance no mar do Japão (também conhecido como mar do Leste). Esse foi o primeiro lançamento de mísseis balísticos por Pyongyang desde março de 2020.

    Algumas horas após os testes, os chefes sul-coreanos do Estado-Maior Conjunto (JCS, na sigla em inglês), disseram que os mísseis voaram cerca de 450 quilômetros, no entanto, a mídia estatal norte-coreana relatou no dia seguinte que os mísseis "atingiram com precisão o alvo definido nas águas a 600 quilômetros da costa leste".

    Respondendo ao pedido de comentários sobre a diferença entre o alcance de mísseis, os chefes do JCS afirmaram que estão analisando cuidadosamente o ocorrido, se pautando em informações obtidas de várias fontes.

    Mais:

    Coreia do Sul em alerta após relatos de atividades em estaleiro de submarinos na Coreia do Norte
    Irmã de Kim Jong-un chama presidente da Coreia do Sul de 'papagaio criado pelos americanos'
    Países do Conselho de Segurança da ONU estão em alerta com testes de mísseis da Coreia do Norte
    Coreia do Sul quer comprar 36 helicópteros de combate até 2028, mas não há ainda vendedor concreto
    Tags:
    defesa antimísseis, mísseis balísticos, mísseis, Coreia do Norte, Coreia do Sul
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar