20:45 04 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    33024
    Nos siga no

    Satélites espaciais, potentes unidades militares móveis e novos tipos de armas são os recursos que os EUA planejam usar para se fixar no Ártico e estabelecer o seu domínio na região.

    Recentemente, o Pentágono publicou mais um documento de estratégia. Um dos seus objetivos é suplantar a Rússia e a China do Extremo Norte, escreve o colunista e analista militar da Sputnik Nikolai Protopopov.

    A nova estratégia dos EUA indica que Moscou tenciona defender o seu direito relativamente ao Extremo Norte, uma vez que o país possui lá vastos territórios. A China também é apontada como um rival de Washington porque, apesar de não ter territórios nesta região, ela busca obter acesso aos recursos naturais e às rotas marítimas do Ártico.

    Segundo dados estatísticos, o Ártico contém 13% das reservas mundiais de petróleo (90 bilhões de barris) e um terço das reservas globais de gás natural (47 trilhões de metros cúbicos). Não é de admirar que Washington se importe tanto com esta região.

    O Pentágono pretende introduzir um novo método de treinamento militar em territórios com temperaturas negativas. Além disso, os EUA planejam adquirir equipamento militar capaz de operar nestas condições de frio extremo.

    Marinheiro estadunidense no mar de Beaufort, no Ártico
    © Foto / Marinha dos EUA
    Marinheiro estadunidense no mar de Beaufort, no Ártico

    A estratégia abarca ainda a criação de um agrupamento operacional multidomínio, que incluirá unidades da Força Aérea e da Marinha. A missão deste agrupamento será combater em cinco ambientes – terra, ar, mar, espaço e ciberespaço.

    Adicionalmente deverá ser implantada uma rede de postos de comando móvel e rede de transponders terrestres, a fim de melhorar as comunicações via satélite da região. Por fim, será acelerado o desenvolvimento de drones capazes suportar as condições climáticas adversas da região.

    Contudo, o colunista opina que, apesar desta estratégica, será difícil para os americanos competir com a Rússia, visto que ela já tem infraestrutura pronta na região ártica.

    Nova base russa Trifólio Ártico
    © Foto / Ministério da Defesa da Rússia
    Nova base russa Trifólio Ártico

    Por exemplo, na Terra de Francisco José e nas ilhas de Novossibirsk foram construídos os complexos únicos Severny Klever (Trevo do Norte) e Arktichesky Trilistnik (Trifólio Ártico). Neste último 150 militares podem viver autonomamente por até um ano e meio. A primeira base possui uma usina elétrica, estação de purificação de água e um sistema de esgoto. A segunda opera de forma similar, mas tem capacidade para 250 militares.

    Mais:

    EUA se preparam para 'guerra no Ártico' após enviarem vários bombardeiros para a região, diz portal
    Único quebra-gelo dos EUA 'está desmoronando' e suas peças já não são fabricadas, diz capitão
    Três submarinos nucleares russos emergem do gelo no Ártico ao mesmo tempo pela 1ª vez (VÍDEO)
    Tags:
    recursos naturais, petróleo, Ártico, Exército dos EUA, base militar, China, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar