14:19 05 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    51118
    Nos siga no

    A Marinha dos EUA autorizou a Raytheon Missiles & Defense a produzir o novo míssil Tomahawk Block V.

    A versão Block V deverá estar em operação ainda neste ano, estendendo a vida útil do projétil por 15 anos, além de fornecer novas capacidades, segundo o portal New Atlas.

    Atualmente, apenas a Marinha dos EUA e a Marinha Real britânica utilizam o Tomahawk Block IV, que deverão ser atualizados para a nova versão, contudo um modelo modernizado já está sendo entregue à Marinha norte-americana.

    "A modernização garante a relevância do Tomahawk hoje e no futuro [...] Esta última entrega marca o próximo grande passo para o programa Tomahawk", afirmou Kim Ernzen, vice-presidente da Raytheon Missiles & Defense.

    O Block V integrará uma nova ogiva que terá uma gama mais ampla de capacidades, incluindo maior poder de penetração.

    Graças a seu novo rastreador, as futuras versões Block Va e Block Vb poderão conseguir atingir navios a distâncias de mais de 1.500 quilômetros, algo que a mídia considera particularmente importante na região Ásia-Pacífico, com os mísseis DF-26 e DF-21 da China alcançando 4.000 e 2.150 quilômetros, respectivamente, de acordo com o Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais (CSIS, na sigla em inglês).

    O Tomahawk entrou em serviço em 1983, passando por uma série de melhorias, como avançados sistemas de navegação e capacidade de localizar e atingir alvos pré-designados.

    Os testes de voo do Block V foram concluídos em dezembro de 2020.

    Mais:

    Submarino estratégico russo surge em cartaz de alistamento para Marinha dos EUA (FOTO)
    Comandante da Marinha dos EUA é dispensado após investigação sobre incidente que deixou 9 mortos
    Capacidade da China de afastar Marinha dos EUA tem 'melhorado continuamente', diz Pentágono
    Tags:
    míssil, míssil balístico, míssil de cruzeiro, míssil teleguiado, EUA, Marinha dos EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar