02:16 17 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    6492
    Nos siga no

    Um cartaz, que convida jovens a se alistar para Marinha dos EUA, exibe um submarino nuclear russo do projeto 941 Akula (Tubarão, em português). A imagem curiosa foi parar na web.

    A imagem da silhueta reconhecível do submarino russo portador de mísseis balísticos Typhoon (designação da OTAN) surge ao lado de porta-aviões norte-americanos e cruzadores da classe Ticonderoga. Dá para ver também no cartaz o slogan "forjado pelo mar", escreve Rossiyskaya Gazeta. 

    O slogan corresponde plenamente ao caráter e às capacidades do submarino russo, que tem a mesma altura de um prédio de nove andares, e um comprimento de dois campos de futebol.

    ​Submarino nuclear russo do projeto 941 Akula surge em cartaz publicitário da Marinha dos EUA.

    Após o submarino do projeto 941 Akula entrar em serviço, os EUA assinaram com a União Soviética um tratado de redução de armas estratégicas em 18 de junho de 1979.

    O submarino Typhoon tem um deslocamento em posição emersa de 23.200 toneladas e em posição submersa de 48.000 toneladas. Seu comprimento corresponde a quase 173 metros.

    Submarino nuclear do projeto 941 Akula.
    Submarino nuclear do projeto 941 Akula

    O projeto do submersível destaca-se pela originalidade, por ser uma espécie de catamarã com dois cascos resistentes entre os quais estão 20 silos de mísseis balísticos intercontinentais.

    Atualmente, só o submarino Dmitry Donskoy do projeto 941 permanece em serviço da Marinha russa. O navio passou por modernização e faz parte da Frota no Norte.

    Mais:

    Marinha dos EUA revela ter testado novo lançador de mísseis antinavio, diz mídia
    Marinha dos EUA lança plano de aeronaves não tripuladas com MQ25 da Boeing em destaque
    Capacidade da China de afastar Marinha dos EUA tem 'melhorado continuamente', diz Pentágono
    Tags:
    Rússia, Marinha dos EUA, tecnologia militar, submarino nuclear, submarinos russos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar