22:44 11 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    13443
    Nos siga no

    Os EUA não conseguirão enfrentar a Rússia e a China em caso de guerra devido à carência de caças furtivos, escreve a revista norte-americana The National Interest.

    A revista ressalta que, apesar dos caças F-22 e F-35, a Força Aérea norte-americana sofre grande carência de aeronaves furtivas de quinta geração.

    Uma grande parte da frota atual é constituída por caças de quarta geração, que, segundo a revista, são incapazes de penetrar no espaço aéreo inimigo sem serem detectados, em virtude das capacidades dos sistemas de defesa aérea russos e chineses.

    Além disso, a mídia norte-americana destaca que, para obter a superioridade aérea, é preciso velocidade, furtividade e capacidade de manobra, características que os caças dos EUA deixam muito a desejar.

    De acordo com o ex-general da Força Aérea americana e piloto de F-15 David Deptula, o país precisa de aviões "que sejam capazes de penetrar na zona de ação da defesa aérea do inimigo".

    O general também lembrou que os mísseis HQ-9 chineses ou os russos S-400 podem criar sérios problemas aos aviões norte-americanos, destacando ainda que a Rússia e a China possuem uma frota de aeronaves de quinta geração, como os Su-57 e J-31 e, por isso, os caças norte-americanos de quarta geração dificilmente poderiam superá-los no campo de batalha.

    Mais:

    Caça russo Su-27 escolta 2 bombardeiros dos EUA sobre o Mar Báltico
    Falha em substituir F-16: EUA admitem explicitamente fracasso do caça F-35, diz Forbes
    Caças F-15 dos EUA treinam lançamento de mísseis de cruzeiro sobre mar Báltico
    Tags:
    China, Rússia, EUA, avião de combate, avião de assalto, avião de ataque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar