11:26 13 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    1230
    Nos siga no

    Em breve, os submarinos atômicos multifuncionais da Marinha russa do projeto 949A e 971 serão equipados com novas armas, segundo o almirante Nikolai Yevmenov, comandante da Marinha da Rússia.

    Trata-se dos mísseis de cruzeiro Kalibr, bem como dos mísseis hipersônicos Tsirkon. Os submarinos destes projetos tinham uma vida útil de cerca de 30 anos, mas este prazo passa agora a ser duas vezes maior.

    "O processo de modernização dos submarinos nucleares dos projetos 949A e 971 continuará. Posso afirmar que estes submarinos terão novas capacidades em termos de armas e equipamentos técnicos. Isso aumentará a eficiência das missões nas atuais condições nos oceanos e, claro, sua vida útil duplicará", afirmou Yevmenov ao jornal Krasnaya Zvezda.

    Ele adiantou que o trabalho está em andamento nas instalações de manutenção naval, com o envolvimento de institutos de projeto e engenharia.

    "Sua capacidade de modernização e soluções tecnológicas únicas permitirão encarar esses navios com ainda maior respeito", enfatizou.

    Os submarinos do projeto 949A Antey têm um deslocamento de 24.000 toneladas, comprimento de 154 metros, boca de mais de 18 metros. São capazes de desenvolver velocidade em imersão de até 32 nós e submergir a uma profundidade de 600 metros. O principal objetivo desses submarinos é a destruição de porta-aviões inimigos. Os submarinos Antey estão armados com mísseis de cruzeiro Granit e também possuem seis tubos de torpedos.

    Os grandes submarinos nucleares do projeto 971 podem combater submarinos, agrupamentos navais e alvos terrestres inimigos.

    Mais:

    Submarino nuclear russo dispara míssil antinavio em testes no mar Branco
    Eliminação certa: submarinos russos serão 'ensinados' a mirar alvos com mísseis Tsirkon
    Lançamento simultâneo de 4 mísseis intercontinentais de submarino nuclear russo é mostrado em VÍDEO
    Tags:
    Marinha da Rússia, Marinha, Marinha, submarinos, submarino
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar