22:36 29 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    7180
    Nos siga no

    Em caso de um conflito armado com a Rússia, um confronto de tanques muito provavelmente não terminaria a favor do Reino Unido, aponta relatório da Comissão de Defesa da Câmara dos Comuns britânica.

    O documento relata que, após uma série de programas fracassados de aquisições, o Exército britânico ficou com uma frota de veículos blindados que enfrentam "obsolescência em massa", escreve jornal Evening Standard. 

    O relatório aponta que um combate de artilharia entre uma moderna divisão britânica e uma russa "provavelmente terminaria de uma maneira não necessariamente a favor do Exército britânico".

    A comissão referiu que a atual situação é produto de um histórico de "procrastinação burocrática, indecisão militar, má gestão financeira e incompetência geral".

    Além disso, o relatório indica que o Exército precisa recuperar a sua "credibilidade", pois atualmente não tem capacidade blindada suficiente para dar uma "contribuição efetiva" às forças da OTAN.

    "Se o Exército britânico tivesse que combater nos próximos anos na Europa de Leste contra um adversário do mesmo nível – nome pelo qual se subentende a Rússia –, os nossos soldados que, sem dúvida, estão entre os melhores do mundo, seriam vergonhosamente forçados a entrar em combate com uma combinação de veículos blindados que estão envelhecidos ou são até mesmo obsoletos", ressalta relatório.

    Os autores notam que a maioria dos veículos tem pelo menos 30 anos ou mais, possuindo fraca fiabilidade mecânica. Em termos de poder de fogo, eles perdem significativamente para a artilharia e sistemas de mísseis modernos e, além do mais, não recebem apoio aéreo adequado.

    O relatório criticou o Ministério da Defesa por embarcar em uma série de projetos de equipamentos "excessivamente ambiciosos", que têm estado muito dependentes do desenvolvimento de tecnologias, resultando em cancelamentos e atrasos.

    Tanque russo T-14 Armata
    © Sputnik / Ilia Pitalev
    Tanque russo T-14 Armata

    Os deputados britânicos destacaram um dos mais avançados tanques russos, o Armata, e a criação de uma blindagem melhorada para outros veículos de combate.

    Eles duvidam que o tanque britânico Challenger 2 seja capaz de "enfrentar esta nova ameaça", sendo além do mais inferior às máquinas de guerra dos seus aliados da OTAN.

    Tobias Ellwood, ex-ministro da Defesa e atual presidente da Comissão da Defesa da câmara baixa do Parlamento do Reino Unido, disse que o Ministério da Defesa do país permitiu que a capacidade dos veículos de combate blindados do Exército "se atrofiasse a um ritmo assombroso e alarmante".

    "Isto terá um impacto profundo e potencialmente devastador em nossa capacidade de resposta às ameaças dos adversários", disse Ellwood.

    No início de fevereiro um documento interno vazado do Ministério da Defesa do Reino Unido revelou que todos os 33 batalhões de infantaria do Exército britânico, exceto um, teriam falta de soldados para defender o país.

    Mais:

    Entregas em série ao Exército russo do novo tanque T-14 Armata começarão em 2022
    'Submarino com esteiras': tanque T-72 atravessa rio durante exercícios na Rússia (VÍDEO)
    Revista norte-americana ressalta poder de combate do tanque russo T-72B3
    Tags:
    conflito armado, T-14 Armata, veículos blindados, Rússia, Reino Unido, Exército britânico
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar