15:36 21 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    7140
    Nos siga no

    A Federação de Cientistas Americanos (FAS, na sigla em inglês) critica o projeto dos EUA de mísseis balísticos intercontinentais estratégicos de dissuasão terrestre (GBSD, na sigla em inglês) que custa US$ 100 bilhões (cerca de R$ 567 bilhões).

    O novo relatório da FAS critica o projeto GBSD que deve substituir o míssil balístico intercontinental (ICBM, na sigla em inglês) Minuteman III, segundo informou o The Guardian.

    O relatório da FAS, que será publicado na próxima semana, argumentará que o GBSD é impulsionado por lobby da indústria e políticos de estados que se beneficiarão economicamente disso, e que o projeto não apresenta um objetivo claro.

    Os cientistas da FAS também destacam que os Estados Unidos pretendem elaborar arma nuclear se baseando em construções obsoletas e erradas.

    "Está ficando cada vez mais claro que não houve uma consideração séria sobre o papel que estas armas do tempo da Guerra Fria deveriam desempenhar em um ambiente de segurança pós-Guerra Fria", segundo relatório da FAS.

    Os cientistas consideram que o preço estimado pela Força Aérea dos EUA para o projeto GBSD foi diminuído para ligeiramente parecer inferior ao custo de prolongar a vida útil do míssil Minuteman III, que o substituiria.

    Uma avaliação independente realizada mais ou menos na mesma época pela corporação Rand, sugeriu que o custo de uma arma totalmente nova poderia ser dois ou três vezes maior.

    O custo básico de aquisição do GBSD será de US$ 100 bilhões (R$ 567 bilhões), enquanto o custo total de construção, operação e manutenção ao longo de sua vida útil projetada até 2075 será de US$ 264 bilhões (cerca de R$ 1,5 trilhões).

    O Minuteman III é um componente central das forças nucleares estratégicas dos EUA, fabricado pela primeira vez no final dos anos 1960. Atualmente, os Estados Unidos possuem 400 mísseis Minuteman distribuídos por cinco estados.

    O relatório da FAS está sendo publicado no momento em que a administração de Joe Biden prepara seu primeiro orçamento para a Defesa, que pode revelar suas intenções em relação ao GBSD ainda nesta fase inicial.

    Mais:

    Militares dos EUA planejam criar rede para lançamento de mísseis no Pacífico Ocidental
    EUA estão desenvolvendo míssil capaz de derrubar satélites de navegação, diz especialista russo
    Novo alvo: caças russos MiG-31 serão utilizados contra mísseis balísticos
    EUA preparam 1º teste de voo do míssil hipersônico AGM-183A
    FOTOS revelam avião norte-americano P-8A com mísseis antinavio no Oriente Médio
    Tags:
    Guerra Fria, mísseis, Defesa, projeto, míssil balístico, Estados Unidos, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar