20:22 12 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    7492
    Nos siga no

    Rússia está finalizando a criação em órbita do sistema de satélites de inteligência marítima e aquisição de alvo Liana.

    Estes satélites ímpares serão capazes de detectar navios inimigos a milhares de quilômetros em qualquer parte do oceano mundial e apontar contra eles mísseis de cruzeiro Kalibr ou mísseis hipersônicos Kinzhal e Tsirkon.

    Neste ano Moscou prevê concluir a implantação do sistema espacial de reconhecimento e aquisição de alvo Liana, bem como vários outros elementos adicionais deste sistema, informou uma fonte do Ministério da Defesa da Rússia, citada pelo jornal Izvestia.

    No ano passado, o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, anunciou que em breve seria concluído o desenvolvimento do aparelho espacial Pion-NKS, que dispõe de um radar ativo que é um componente-chave do sistema Liana.

    Anteriormente o ministro havia salientado que se trata de uma tarefa de importância nacional, no entanto, a data de conclusão da construção do aparelho teve de ser ajustada várias vezes.

    Atualmente em órbita se encontra apenas um dos dois componentes do Liana – cinco satélites de reconhecimento radiotécnico passivo Lotos-S1.

    Porém, o sistema apenas poderá ficar inteiramente funcional após colocação em órbita dos dispositivos ativos Pion-NKS, uma vez que são estes os aparelhos que conseguem detectar os alvos marítimos e terrestres, tanto de dia como de noite e em quaisquer condições climáticas, e fornecer dados dos alvos para sua destruição com armas de precisão.

    "Neste ano podemos esperar o lançamento do primeiro satélite Pion-NKS. Ele já está passando por testes em terra", revela o artigo.

    Modelo do aparelho espacial Pion-NKS exibido no salão aeroespacial internacional MAKS 2017
    © Sputnik / Sergei Mamontov
    Modelo do aparelho espacial Pion-NKS exibido no salão aeroespacial internacional MAKS 2017

    O novo sistema de satélites e aquisição de alvo Liana não só deve dar continuidade ao sistema soviético semelhante Legenda, mas também elevá-lo para um nível totalmente novo, melhorado todas as suas características.

    Dispositivos de reconhecimento radiotécnico podem monitorar os navios e esquadras que se deslocam em completo silêncio de rádio.

    A Marinha dos EUA já tem treinado em várias ocasiões tais movimentações secretas de implantação de grupos de ataque de porta-aviões.

    No entanto, os aparelhos mais complexos e sofisticados Pion-NKS equipados com radares são impossíveis de serem enganados desta forma.

    Radares modernos podem facilmente detectar pequenos navios na água, mesmo a partir do espaço, e determinar as coordenadas dos alvos contrastantes com precisão de até um metro.

    São estes satélites que devem fornecer os dados de aquisição de alvo a uma nova geração de mísseis antinavio, incluindo Kinzhal e Tsirkon, entre outros.

    Ambos os tipos de aparelhos do sistema Liana são colocados em órbita circular a uma altitude de 800-900 km acima da superfície da Terra. A esta altitude será mais difícil atingi-los com armas antissatélite (ASAT).

    Mais:

    Sistema russo de guerra eletrônica é capaz de neutralizar sistemas GPS, Galileo e BeiDou
    Combatendo às cegas: Rússia poderá bloquear comunicação na Europa em caso de conflito com OTAN
    Inteligentes e mortais: principais armas da aviação militar da Rússia são reveladas
    Tags:
    míssil hipersônico, mísseis antinavio, Tsirkon, Rússia, Marinha dos EUA, navios de guerra, radar, satélite militar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar