11:36 16 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    3301
    Nos siga no

    A Turquia vem tentando alinhar uma parceira com o Paquistão para fabricação de aviões de guerra e mísseis. Tal conexão poderia ainda garantir acesso à tecnologia de guerra chinesa.

    A Defesa turca e as autoridades do governo em Ancara têm mantido conversas periódicas com os representantes paquistaneses sobre desenvolvimento e fabricação de equipamentos militares, tendo sido a última discussão de alto nível em janeiro.

    Embora ainda não tenham sido anunciadas novas reuniões nem acordos neste sentido, um possível acordo deixaria a Turquia, membro da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte), mais perto de parte da tecnologia militar chinesa. O Paquistão constrói seus caças JF-17 com a China, tendo adaptado os projetos chineses para uso do seu míssil balístico Shaheen.

    A energia nuclear paquistanesa faz a Turquia enxergar o Paquistão como um aliado estratégico e parceiro potencial na construção de seu projeto de defesa antimísseis de longo alcance Siper e caça TF-X. De acordo com reportagem da Bloomberg, não se sabe se as negociações chegaram ao conhecimento de Pequim, e o Ministério das Relações Exteriores da China não se pronunciou sobre o assunto.

    Paquistão vislumbra ganhos com parceria turca

    O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, saudou "potencial muito sério" para colaboração com o Paquistão em projetos de defesa. O secretário de Defesa do Paquistão, Mian Muhammad Hilal Hussain, reuniu-se com importantes autoridades turcas, incluindo o ministro da Defesa, Hulusi Akar, para discutir a ampliação da cooperação já existente da indústria de defesa.

    Akar também se reuniu com o ministro da Defesa, o chefe do Estado-Maior e o comandante da Força Aérea do Paquistão, e acompanhou Erdogan em visita ao país islâmico no ano passado. Os países já têm alguma cooperação na indústria de defesa, incluindo a coprodução de navios de guerra que a Turquia vendeu ao Paquistão.

    Navio turco do grupo militar da OTAN TCG Turgutreis realiza manobras no mar Negro
    © AP Photo / Vadim Ghirda
    Navio turco do grupo militar da OTAN TCG Turgutreis realiza manobras no mar Negro

    A adoção turca da tecnologia militar chinesa pode causar novos atritos com os EUA, que relutariam em ver Ancara se distanciar ainda mais da OTAN. Washington já está sancionando o país por comprar sistemas de defesa antiaérea da Rússia e suspendeu a participação de empresas turcas no desenvolvimento do caça F-35 da Lockheed Martin.

    As autoridades turcas consideram que os contatos com o Paquistão são parte fundamental de uma política que pretende fazer da capital Ancara um importante centro de poder, em um mundo cada vez mais multipolar.

    Por que S-400 russos dividem Turquia e EUA

    A Turquia assinou o acordo para compra de sistemas de defesa antiaérea S-400 da Rússia depois de descartar os planos de comprar sistema de defesa antimísseis chinês, sob pressão dos Estados Unidos. Agora, Ancara negocia outra compra e coprodução dos sistemas S-400 com Moscou.

    Mais:

    Paquistão testa míssil balístico de maior alcance já produzido pelo país (VÍDEO)
    Rússia e Paquistão assinam contratos de fornecimento de sistemas de defesa aérea e armas
    Turquia convoca diplomata dos EUA após comentários sobre morte de turcos no Iraque
    Turquia não tem recebido devido apoio dos aliados da OTAN, afirma alto funcionário turco
    Tags:
    tecnologia militar, guerra, China, Paquistão, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar