18:30 16 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    9460
    Nos siga no

    O Irã enfrenta desde há tempos ameaças consideráveis de incursões inimigas em seu espaço aéreo e sofreu outros revezes como o embargo norte-americano à compra e venda de armas.

    Contudo, de acordo com a revista Militar Watch, os iranianos, que contam com um orçamento modesto para a modernização da Força Aérea do país, vêm desenvolvendo uma série de novas armas, como drones e sistemas terrestres de defesa antiaérea.

    Na década de 1970, o Irã recebeu 79 caças F-14 Tomcat de quarta geração, um dos mais caros da época e, atualmente, um dos mais pesados. Entretanto, os iranianos realizaram uma grande modernização, e hoje, estes F-14 contam com novos sistemas de guerra eletrônica, novo radar e novos mísseis.

    Um destes mísseis é o Fakour 90, derivado do AIM-54 norte-americano, tendo um alcance de aproximadamente 300 quilômetros e uma velocidade superior a Mach 5.

    Além disso, o país desenvolveu uma série de drones, como o furtivo Shahed 191, revelado em 2018, um dos equipamentos de maior capacidade do país.

    Outro ponto destacado pela revista foi que, desde o desenvolvimento do avião Saeqeh, que entrou em serviço em 2007, o Irã conseguiu avançar consideravelmente no que diz respeito à aviônica, radares e tecnologias de mísseis.

    Irã lança produção em série do caça Kowsar
    © CC BY 4.0 / Tasnim News Agency / (cropped photo)
    Irã lança produção em série do caça Kowsar

    Já o Su-24M virou o principal caça de combate do Irã, com um alcance suficiente para atacar alvos em todo o Oriente Médio. Equipados com uma classe de armas desconhecidas, os caças seriam capazes de atingir alvos a mais de 500 quilômetros de distância.

    Os sistemas de defesa aérea de longo alcance Bavar-373 e Khordad 15 também foram lembrados pela revista norte-americana. O Khordad 15 tem um alcance de aproximadamente 200 quilômetros e é capaz de enfrentar alvos furtivos.

    Além dos sistemas iranianos, o país conta com o sistema de defesa aérea S-300 da Rússia, capaz de lançar até 64 mísseis terra-ar contra até 32 alvos simultaneamente. O S-300 tem um alcance de até 250 quilômetros e uma velocidade muito alta de Mach 14, além de ser capaz de interceptar diversos tipos de alvos hipersônicos.

    O Irã também reforçou a segurança de seu espaço aéreo com o radar russo Rezonans-NE. Este radar detectou e rastreou por diversas vezes os caças furtivos F-35 que operavam próximo do espaço aéreo iraniano.

    Para concluir, a revista citou o drone Fotros, revelado pela primeira vez em novembro de 2013. O Fotros é um grande drone multifuncional, desenvolvido pela Iran Aviation Industries Organization, capaz de participar de operações de reconhecimento e combate, com um alcance operacional de até 2.000 quilômetros e uma autonomia de até 30 horas.

    Protótipo do drone iraniano Fotros
    © Foto / Agência de Notícias Tasnim
    Protótipo do drone iraniano Fotros

    Além disso, o drone possui teto operacional de 7.600 metros e a capacidade de transportar mísseis ar-terra ou mísseis antitanque.

    A aparência do veículo aéreo se assemelha aos diversos drones de alta tecnologia ocidentais, como o Predator dos EUA.

    Além do Fotros, o Irã possui aproximadamente meia dúzia de outros drones militares em produção. A indústria do país concluiu com sucesso o desenvolvimento e a produção de diversos equipamentos militares, mesmo tendo um orçamento militar inferior aos de seus adversários.

    Mais:

    Representante do Irã na ONU acha apelo dos EUA ao cumprimento total do JCPOA um 'absurdo'
    AIEA pede a Irã que explique vestígios nucleares 'encontrados em locais onde não deveriam estar'
    Israel: Irã deixou claras as intenções de continuar desenvolvendo armas nucleares
    Tags:
    drones, drone, sistema de defesa de mísseis, sistema de defesa antiaéreo, sistema de defesa antiaérea, sistema de defesa aérea, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar