22:48 25 Fevereiro 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    0 60
    Nos siga no

    Na segunda-feira (22), a Organização de Pesquisa e Desenvolvimento da Defesa da Índia (DRDO, na sigla em inglês) realizou dois lançamentos bem-sucedidos de mísseis de curto alcance ao largo da costa de Odisha.

    Os lançamentos foram realizados por meio de um lançador vertical estacionário do Centro Integrado de Testes de Chandipur.

    Os projéteis superfície-ar, de fabricação doméstica, foram desenvolvidos para neutralizar diversas ameaças aéreas a curta distância, bem como alvos marítimos de superfície, declarou o DRDO.

    ​O sistema de lançamento vertical de mísseis de superfície-ar de curto alcance, projetado e implantado pela DRDO para a Marinha indiana completou com sucesso dois lançamentos hoje. O míssil é capaz de neutralizar diversas ameaças aéreas a curta distância.

    Os lançamentos realizados nesta segunda-feira demonstraram as capacidades do sistema de lançamento vertical, interceptando os alvos simulados com precisão, segundo a emissora NDTV.

    O sistema de controle de armas do VL-SRSAM foi implantado durante os testes, que foram monitorados por cientistas de diversos laboratórios da DRDO, envolvidos no projeto.

    Os parâmetros da trajetória de voo e desempenho do míssil foram monitorados usando dados de voo, registrados por diversos instrumentos: radar, sistemas de telemetria e sistema de direcionamento eletro-óptico.

    Com isso, o país comprovou a eficiência do sistema de armas, devendo outros testes ser realizados antes de o míssil ser implantado nos navios da Marinha da Índia.

    Mais:

    Além dos sistemas S-400, Índia contará com 21 novos caças russos MiG-29
    'Prepare-se para vingança': diria nota para embaixador de Israel encontrada após explosão na Índia
    Aviso para Índia? China testa com sucesso interceptação de míssil balístico intercontinental (VÍDEO)
    Tags:
    Marinha, testes, teste, Índia, míssil de cruzeiro, míssil balístico, míssil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar