08:27 01 Março 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    186
    Nos siga no

    O secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, anunciou nesta quinta-feira (4) em uma declaração que o Pentágono vai reavaliar a implantação de forças militares dos EUA em todo o mundo.

    "Sob a direção do presidente, o Departamento vai, deste modo, realizar uma revisão global da presença militar dos EUA, dos recursos, da estratégia e das missões", disse Lloyd Austin em comunicado.

    O chefe de Pentágono acrescentou que a revisão da presença militar dos EUA no exterior será conduzida em consulta com os aliados.

    "Vamos consultar os nossos aliados e parceiros enquanto conduzimos esta revisão", frisou.

    ​Por indicação do presidente, vou conduzir uma revisão da presença global das forças militares dos EUA, para que nossa presença se alinhe com nossos interesses nacionais. Precisamos ter a certeza de que temos as capacidades certas nos lugares certos e estamos apoiando o trabalho de nossos diplomatas.

    Na semana passada, The Wall Street Journal informou que a administração Biden pode reavaliar o número de tropas no Afeganistão e no Iraque, observando que estas podem tanto aumentar como diminuir.

    De acordo com a notícia, o contingente dos EUA que resta no país seria pequeno demais para realizar operações de combate ao terrorismo e treinar forças locais. No entanto, enviar mais tropas seria "politicamente arriscado".
    Soldado do Exército Nacional do Afeganistão em Cabul
    © REUTERS / Omar Sobhani
    Soldado do Exército Nacional do Afeganistão em Cabul

    Anteriormente foi informado que a nova administração Biden revogou o compromisso de seu antecessor Donald Trump para a retirada total das forças norte-americanas do Afeganistão.

    Em fevereiro de 2020, o governo de Trump chegou a um acordo de paz com o Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países), prevendo a retirada total das tropas estrangeiras do Afeganistão até maio de 2021.

    Mais:

    'Devem sair': Irã critica presença de tropas dos EUA na Síria, exigindo sua retirada imediata
    Mídia: Alemanha investirá US$ 59 milhões em novas bases no Afeganistão mesmo com possível saída
    Talibã diz que vai 'se defender' caso EUA descumpram acordo e não retirem tropas do Afeganistão
    Tags:
    Iraque, Afeganistão, Lloyd J. Austin, Joe Biden, Exército dos EUA, tropas estrangeiras
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar