05:47 18 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    475
    Nos siga no

    Os EUA deverão deixar de utilizar a partir do próximo ano o porta-aviões nuclear USS Nimitz, que será reciclado e algumas partes usadas por outros navios, como parte da estratégia naval do país nas próximas décadas.

    A Marinha dos EUA deverá retirar do serviço o porta-aviões USS Nimitz e começar um possivelmente longo plano de reciclagem em 2025, escreve o portal Business Insider.

    A mídia citou um plano do ramo militar, divulgado em 9 de dezembro, relatando que, depois de uma longa carreira ao serviço do país norte-americano, o USS Nimitz será um dos 14 navios de propulsão nuclear descomissionados, e depois reciclados, dos 304 que deixarão de estar ao serviço da Marinha, devendo isso acontecer em 2022. A estratégia prevê uma frota total de 546 navios até 2051, com a construção de 404 embarcações e desativação de 304.

    A partir de 2025 será retirado o combustível dos dois reatores nucleares do USS Nimitz, que deverá ser levado às Instalações de Reatores Navais em Idaho, EUA. Os próprios reatores serão limpos, selados e transportados a um depósito de resíduos no leste do estado de Washington.

    Prevê-se que a reciclagem também comece em 2025, com retirada e preparação das partes que poderão ser usadas em outros porta-aviões, do mesmo modo que algumas partes do USS Enterprise, cuja reciclagem está decorrendo, já foram instaladas em navios da classe Nimitz.

    No entanto, como indicou o portal The Drive em 2018, o processo de reciclagem de um porta-aviões é longo, tendo sido estimado que o USS Enterprise demore 15 anos ou mais para completar o processo, o mesmo podendo acontecer com o USS Nimitz.

    O USS Nimitz foi comissionado para a Marinha norte-americana em 1975, sendo na época apenas o segundo porta-aviões nuclear alguma vez construído depois do USS Enterprise (CVN-65), que iniciou o serviço em 1961.

    A mais recente missão do USS Nimitz incluiu permanecer no Oriente Médio como meio de dissuasão do Irã nas vésperas de 3 de janeiro, o primeiro aniversário do assassinato pelos EUA do general iraniano Qassem Soleimani, tendo recebido na segunda-feira (1º) a ordem de voltar ao país.

    Mais:

    Mísseis iranianos lançados em manobras caem a 160 km do porta-aviões USS Nimitz dos EUA, diz mídia
    Diretor de testes do Pentágono revela problemas do porta-aviões mais caro dos EUA
    Business Insider vê chance de porta-aviões dos EUA perderem 'reinado nos mares' para Rússia e China
    Tags:
    Qassem Soleimani, Oriente Médio, The Drive, Marinha dos EUA, Marinha, Business Insider, USS Nimitz, EUA, Pentágono
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar