13:53 02 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    131348
    Nos siga no

    O jornal japonês Mainichi Shimbun revelou planos do governo do país de aumentar o alcance dos mísseis por causa da anulação do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (Tratado INF, na sigla em inglês), expirado em 2 de agosto de 2019.

    Segundo a ideia das autoridades do Japão, o míssil antinavio Type 12, cujo alcance hoje em dia atinge 200 quilômetros, será modernizado para aumento de alcance, primeiro até 900 quilômetros e depois até 1.500 quilômetros. Além disso, os desenvolvedores estão planejando o tornar indetectável para os radares do adversário. O governo alocará US$ 320 milhões (cerca de R$ 1,74 bilhão).

    "Se aumentarmos o alcance dos mísseis japoneses, estes também poderão ser usados para destruição de base de mísseis, aeródromos e outras instalações do inimigo", escreve o autor do artigo.

    Tóquio pretende modernizar o míssil Type 12 devido à anulação do Tratado INF, do qual os Estados Unidos saíram em fevereiro de 2019. Já duas semanas depois, Washington expressou sua disposição de desenvolver novos mísseis de médio alcance.

    "Quando os mísseis estiverem prontos, se planeja os instalar nas bases norte-americanas na Ásia, graças a isso será possível atingir a Rússia, a China e a Coreia do Norte", aponta o autor.

    O governo do Japão vê perigo na instalação de mísseis norte-americanos em seu território. Isso criará uma situação arriscada em caso de haver retaliação russa e chinesa contra uma agressão dos EUA. Para evitar esse cenário, Tóquio quer criar seus próprios mísseis de alcance médio.

    Segundo o artigo, quando Washington propuser posicionar seus mísseis no território do Japão, as autoridades japonesas vão responder que não necessitam da ajuda norte-americana, uma vez que já mísseis possuem seus Type 12 de raio de alcance de 1.500 quilômetros.

    Apesar da criação de seus próprios mísseis, o Japão terá que utilizar satélites dos EUA para efetuar os disparos, esclareceu uma fonte no Ministério da Defesa do país asiático.

    "Isto significa que as forças americanas continuarão controlando as operações que utilizem os Type 12 modernizados, enquanto o Japão terá, tal como antes, de obedecer a suas ordens", concluiu o autor.

    Mais:

    Pyongyang tem 650 mísseis balísticos capazes de atingir Coreia do Sul e Japão, diz reporte
    Japão decide adiar modernização de seus caças F-15 com mísseis de cruzeiro americanos
    Mísseis norte-coreanos 'podem atingir bases dos EUA no Japão e Coreia do Sul', diz especialista
    Tags:
    Tratado INF, alcance, mísseis, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar