09:47 13 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    4180
    Nos siga no

    A Frota do Mar Negro da Marinha da Rússia realizou um treinamento conjunto das forças da aviação naval com sistema de mísseis costeiro antinavio Bal para destruição de navio do inimigo hipotético.

    O grupo de aviões de prevenção, composto de caças Su-30SM e caças-bombardeiros Su-24M da aviação naval e do sistema de defesa aérea da Frota do Mar Negro, decolou para realizar a missão aérea de ataque ao alvo, segundo informou a assessoria de imprensa do Distrito Militar do Sul.

    As equipes do sistema de mísseis costeiros Bal, posicionados no território da península da Crimeia, se deslocaram para seu local de posicionamento e começaram a missão de vigilância de combate.

    "Durante a primeira etapa dos exercícios, as tripulações dos caças multifuncionais Su-30SM e caças-bombardeiros Su-24M dispararam mísseis e bombas de treinamento contra alvo de superfície, treinando figuras complexas de acrobacia antes de assumir posição de ataque", de acordo com comunicado.

    Durante a segunda etapa, equipes do sistema Bal iniciaram acompanhamento do navio "inimigo", prepararam o dispositivo para combate e treinaram o algoritmo de ações para disparo de mísseis contra o alvo convencional usando os lançamentos eletrônicos, conforme a assessoria de imprensa.

    Dos exercícios participaram mais de 200 militares, quatro caças Su-30SM, dois caças-bombardeiros Su-24M e uma bateria de sistemas de mísseis costeiros Bal do grupamento de mísseis e artilharia da Frota do Mar Negro.

    Mais:

    Defesa antiaérea não ajudará: como serão futuros mísseis hipersônicos do Pentágono?
    Novo míssil balístico da China aumentaria 'risco e custo' para EUA iniciarem conflito com Pequim
    Ministro da Defesa do Japão nega alegações sobre acordo secreto com militares dos EUA
    Paquistão testa míssil balístico de maior alcance já produzido pelo país (VÍDEO)
    Tags:
    treinamento, inimigo, navio, frota, Marinha, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar