23:55 01 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    373
    Nos siga no

    Nesta terça-feira (26), o ministro da Defesa japonês Nobuo Kishi refutou relatos recentes sobre um acordo secreto com militares norte-americanos para uso de uma base de fuzileiros dos EUA em Okinawa por uma unidade anfíbia da Força Terrestre de Autodefesa do Japão.

    "Nós não estamos considerando o estacionamento de unidades anfíbias de implantação rápida, nem o uso conjunto de Camp Schwab. As decisões são tomadas com base em discussão ampla [de tais assuntos] pelos ministérios da Defesa e das Relações Exteriores do Japão e dos EUA", anunciou o ministro, segundo a agência de notícias Kyodo.

    "Estes assuntos não são decididos pela Força Terrestre de Autodefesa e pelos Fuzileiros Navais. A Força Terrestre de Autodefesa está levando em consideração diferentes opções, e eu me absteria de dar respostas sobre qualquer uma deles", continuou o ministro japonês.

    Na segunda-feira (25), a agência de notícias Kyodo reportou sobre um acordo secreto celebrado em 2015 entre o então chefe da Força Terrestre de Autodefesa do Japão, general Kiyofumi Iwata, e o comandante na época das forças norte-americanas em Okinawa, tenente-general Lawrence, sobre o estacionamento de um regimento da Brigada Anfíbia de Implantação Rápida em Camp Schwab, base dos Fuzileiros Navais dos EUA, no distrito de Henoko, em Okinawa.

    Apesar de constituir apenas 0,6% do território japonês, agora Okinawa hospeda a maioria das forças e instalações militares norte-americanas no país. Segundo dados da prefeitura, cerca de 25.800 soldados norte-americanos, tal como 19.000 de seus familiares e civis, residem lá.

    Mais:

    Fragata modernizada da Rússia testa novos sistemas de artilharia no mar do Japão (VÍDEO)
    Japão planeja criar e lançar 1º satélite de madeira do mundo
    Duas embarcações militares chinesas entram nas águas territoriais do Japão
    Tags:
    acordo secreto, acordo, EUA, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar